14.10.12

O morro dos ventos uivantes

Ufa! Acabei... livro forte, sombrio, pesado, sem contudo deixar de conter certas levezas relacionas sobretudo à charneca (zona rural da Inglaterra). 
O romance, escrito por uma mulher, remete aos idos de 1800. Permeia a história, diversas mortes prematuras, inclusive por partos.
Uma serviçal narra quase todo o romance, tendo Heathcliff como personagem central: ele vem adotado, sofre perseguições na infância, tem seu amor renegado por dinheiro.
Torna-se adulto vingativo, atormentado, sádico, um caso psiquiátrico. As reticências ocasionadas pela morte antes do amor consumado, o levam à loucura final.
Refleti muito sobre os personagens, inclusive a serviçal: sem família, sem amor, sem vida própria. Passa suavemente pelas vidas dos outros, fazendo destas também a sua.

Curioso que aqui na Cidade há uma rua importante com o nome Heathcliff !

Escolhi português de Portugal. Eis uma canja: 
__Capítulo XVII: Aquela sexta-feira foi o último dia de bom tempo desse mês. Ao anoitecer, o tempo mudou: o vento começou a soprar de sul para nordeste e trouxe consigo a chuva e, depois, granizo e neve. No dia seguinte dificilmente se diria que havíamos tido três semanas de Verão: as buganvílias e os crocos vergavam-se agora às ventanias de Inverno; calaram-se as cotovias, amareleceram e caíram as folhas das árvores temporãs; fria, soturna e sombria, a manhã arrastava-se preguiçosa! O meu patrão não saiu dos seus aposentos. Assenhoreei-me da sala vazia e transformei-a num quarto de bebés. E ali estava eu, sentada, com a bebé chorona ao colo, embalando-a de um lado para o outro e contemplando os flocos de neve que não paravam de cair e se acumulavam no peitoril da janela sem cortinas, quando a porta se abriu e alguém entrou, a rir-se e ofegante. Por momentos a minha fúria suplantou o meu espanto; pensando que. fosse uma das criadas, gritei: Cala-te! Como te atreves a entrar aqui nesse despropósito? Que diria Mr. Linton, se te ouvisse?-- Desculpa -- respondeu uma voz que eu bem conhecia. --Mas sei que o Edgar já está recolhido e não me contive. Dizendo isto, a minha interlocutora aproximou-se do lume, ofegante e com a mão fincada na cintura.-- Vim a correr desde o Alto dos Vendavais... – prosseguiu após uma pausa -- sem contar com as vezes que tropecei e caí; foram tantas que até lhes perdi a conta. Dói-me o corpo todo! Mas não te assustes! Vais ter a explicação logo que eu a possa dar. Por agora, faz-me o favor te ir lá fora mandar preparar a carruagem para me levar a Gimmerton, e diz a uma criada que me arrume algumas roupas. A intrusa era Mrs. Heathcliff. O seu estado não era para risos: o cabelo caía-lhe sobre os ombros, desmanchado e a pingar; trazia o mesmo vestido de rapariga, de sempre, mais adequado à sua idade do que à sua condição de senhora casada; era curto e de mangas igualmente curtas; na cabeça e no pescoço não trazia nada. O vestido era de seda leve e colava-se-lhe ao corpo de tão encharcado que estava. Nos pés, apenas umas chinelas. Um golpe profundo por baixo de uma orelha, que só o frio impedia de sangrar profusamente, um rosto empalidecido, arranhado e ferido, e um corpo que mal se aguentava de pé devido ao cansaço, contribuíam ainda para o seu aspecto lastimoso. Assim, é fácil imaginar que o meu susto não tivesse passado por completo quando tive a oportunidade de a examinar melhor.
LEIA EM E-BOOK, salvando em favoritos (anote a página que parar):   Fonte: esta   

6 comentários:

  1. Esse eu acho que ainda não li, vou guardar a dica. Tambem tenho lido pelo scribd, cansa um pouco ler na tela, mas eh uma otima opcão.

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá Luciana!
    Sabe que já me acostumei com leitura na tela? O inconveniente é não poder levar onde não pega a net...
    Aqui só temos uma biblioteca no centro da Cidade e tem prazo para devolver.
    Gostei da visita,
    Cri.

    ResponderExcluir
  3. Cristina eu ando tão concentrada nos livros do meu curso que nem ando tendo tempo pra ler um livro bom assim como esse.
    Valeu a super dica.
    Bjos e otima semana.

    ResponderExcluir
  4. Oi Renata!
    É assim mesmo, terminei um curso longo em maio. Não dava tempo para outras leituras!
    Devagarinho vamos seguindo...
    Beijão prá ti,
    cri.

    ResponderExcluir
  5. Há muito tempo que não leio um livro clássico assim, mas sempre foi um dos meus estilos preferidos. Adoro as descrições que realmente nos transportam para outro lado...

    Achei muito engraçado você não ter omitido a palavra "rapariga" :) Desde que fiquei a saber que isso é um insulto no Brasil, tenho cuidados redobrados para não escrever essa palavra nos posts do meu blog. Mas é bom saber que não é uma palavra totalmente proibida.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Joana!
    Por eu ter escrito que está em português de Portugal, nenhum problema, contudo aqui não dizemos!
    Leio as professoras de Portugal dizerem "putos" para os miúdos, e que aqui é palavrão maior ainda...
    Eu me encanto com estas diferenças linguísticas!
    Um abração do sudeste brasileiro,
    Cri.

    ResponderExcluir

Desativado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.