23.1.13

Blanche - IX

*  Aqui  terá o conto completo!

Domingo: Foi mesmo Nick quem elevou-se à Montanha dos Caprinos. Eric convalesce, todavia encontra-se bem. Teremos então, uma semana quase festeira, de criatividade e leveza.
Para tal, ele visitou os familiares da amiga. Rob e Erin enviaram conselhos, saudações, folhetins, sementes. Lastimam a distância da filha, conquanto regozijam-se por sua pluma sina. 
Nesta região, traz auspiciosidade doar sementes raras, principalmente aos mais íntimos, todavia muitas não germinam, ou quando nascem, não vingam nesta pedregosa, fresca e quase seca região, com botânica rica, porém peculiar. 
Uma deliciosa erva aromática, que Blanche necessita para os queijos, será semeada com préstimos, acompanhada de perto. Papai trouxe de sua última viagem à “Corda-Bamba”, comprada a um boticário! 
Nick é inquirido a repetir fidedignamente cada fonema, cada entonação de voz pronunciados na propriedade paterna dela, e a lhe descrever cada cena que presenciou. Ele se rende e narra... 
David, o irmão mais velho, com treze anos, continua resoluto auxiliando o ferreiro do Vilarejo. É empreendedor, astuto, ligeiro. Ainda em porte infantil, se faz homenzinho nas ações e atitudes. 
O Senhor Occan é deficiente físico: a perna esquerda improdutiva. Tão magro e tão loiro, faces róseas... Exímio em artes e ofícios: Domina a metalurgia, sapataria, atua como cabeleireiro e enfermeiro masculino. 
O irmãozinho Joe, com dez anos, frequentará a escola com os garotos maiores. Colabora sobremaneira nos afazeres rurais e já demonstra dons com trabalhos em madeira. Tão tímido e escafunchadinho. 
A avó Lisa, instrui Acte, de sete anos, nos esforços domésticos, e nos insólitos saberes indígenas, que anteriormente dirigiu `a Blanche: São os poderes das ervas, observações climáticas, culinária, a cultura tribal. 
Acte trajava uma veste indígena, pulseirinhas de terracota (especialidade da avó), colar de sementes. O cabelo trançado, foi preso num fitilho de crina de cavalo. E está banguelinha! 
Nick apenas omite sua percepção sobre Erin, que lhe importuna a tempos. A mesma aparenta a ele, não estar confortável naquela armadura de esposa prestimosa. Pode deter segredos presos com tramela em um espírito arredio.
Blanche nunca foi apegada a ela, que lhe era naturalmente arredia, e nem tanto ao atarefado pai, embora os respeite profundamente. A avó era seu carrapicho, com ela ocorriam os segredos, os socorros, a intimidade familiar em seu ápice.

2 comentários:

  1. Salam, Cristina!

    que família grande, não? A narrativa é bem dinâmica.

    Por falar em texto, se você puder ler o texto que escrevei sobre o nscimento do Profeta, pois amanhã é a data do nscimento dele, então acesse:

    http://www.mesquitabrasil.com.br/noticia_completa.php?id=8EEA4BB75F1C61C50991D016AFE9CFAE

    É um texto interessante para quem gostaria de saber mais sobre o cenário da época do nascimento, sobre as beduínas que eram amas de leite, dentre outros fatos.

    Ah, já estava com saudades de você!
    um abraço carioca.

    ResponderExcluir
  2. Denise, acessei seu blogue, mas a barra de rolagem não apareceu. Li só o início do último post, mas vou tentar novamente.
    Já salvei o endereço de seu texto.
    Um abraço e feliz natal: Para você e todos os muçulmanos.

    ResponderExcluir

Desativado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.