26.1.13

Blanche - XI

*  Aqui  terá o conto completo!

Sexta-feira: Após as tarefas, a tarde reserva-se à exploração do suspeito “pedregal da suçuarana”.
A quase um ano, Blanche investigou o sítio arqueológico, onde os indígenas faziam cerimoniais, antes da criação daquela reserva, lá atrás da cadeia montanhosa. 
Numa gruta, ela localizou material lítico intrigante, que deseja compartilhar com Nick. Sua avó sempre lhe alertou, num tom cortante, sobre estes locais sagrados e os possíveis espíritos viventes ali. 
Sol a pino, saem montados "a pelo" na parelha de cavalos. A subida é vertiginosa! Há pedras soltas nesta estação seca.
Seguindo a íngreme e profunda trilha dos caprinos, cruzam por dentro do regato, dão de beber aos animais e nesta última curvinha, contornam o declivoso pedregal. 
Deixam os cavalos presos na frondosa e azulada figueira, seguem a pé por entre as pedras. Do lado oposto, rumo à floresta (e reserva), a misteriosa gruta se entorta,  contorcendo um sobreposto de três pedras que rolaram a muito tempo. 
Nick, ofegante, sonda de longe a entrada: Numa mureta escavada, há cabaças recortadas na horizontal, desde as bem miúdas até o tamanho de uma baciinha de banho, e também em formato de garrafas, trinchadas apenas no início do gargalo. 
Espia mais adiante, sempre na lateral, um copo ricamente entalhado em madeira, várias facas de pedra lascada, cordas trançadas em diversas espessuras, tecidos rústicos, capim seco formando um ninho imenso. 
Pedem autorização aos espíritos, abaixam-se e adentram aquele corredorzinho. Com pedras médias, foi construído um altar bem ao final. Blanche estremece no absoluto silêncio. 
Encontraram, espalhados por sobre o altar, assim como na ribalta, minúsculos ossos humanos. Um esqueleto incompleto.
Em local de destaque, numa bandeja de pedra, há um impressionante dildo em terracota, no tamanho natural. 
Os dois epifenômenos atraíram a dupla: Blanche está fascinada pelo bebê prematuro ou natimorto. Fora ele vítima de ritual macabro? Já chegara morto ao local, sendo implorada sua ressuscitação? Fora deixado vivo (e preso) numa possível permuta com os deuses? 
Muitos animais habitam esta colossal pedraria, e tocaram no corpinho, quando em decomposição. Não há como precisar a cena, apenas intuir, pelas pistas engastalhadas. 
Nick tateia suavemente o dildo com as extremidades digitais, intrigado: Nunca viu algo igual, tão perfeito, tão idêntico! Terá sido esculpido por um ancião? Por uma sacerdotisa? Por um especial?
Os homossexuais, na tribo, eram tidos como especiais – com poderes sacros. 
Qual a relação entre o bebê e o dildo de terracota? Seria um ritual de generatividade, onde a filha (ou esposa) de um chefe político ou religioso não engravidava?
Será que ela necessitava de um menino para a linhagem familiar e nasceu menina? Será que apenas imploravam chuva para a fertilidade da terra? Blanche e Nick nunca saberão.
Voltaram em silêncio, mas com a promessa de continuarem a investigação em tantos outros locais arqueológicos ricos, abandonados abruptamente na retirada da população indígena rumo a reserva.
Em casa, Blanche preparou um apimentado chibé como refeição, encorpado em carne seca desfiada, homenageando seus ancestrais. Arrematou o prato com o aluá de abacaxi e gengibre, que havia deixado fermentando a dias. Banquetearam-se.

8 comentários:

  1. Olá,Cristina, boa-noite!
    O meu nome é Rita Lavoyer, sou de Araçatuba.
    Há uma Promoção na Cia dos blogueiros, que pretende reunir o maior número possível de pessoas que têm blogs para compor um poema, por isso o nome "O maior poema.
    Venho aqui convidá-la a participar.

    Para conseguir informações é só entrar na página da Cia dos blogueiros
    www.ciadosblogueiros.blogspot.com.br

    ou no meu blog

    www.ritalavoyer.blogspot.com

    Inscreva-se e participe conosco.

    Muito obrigada, muito obrigada, muito obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Rita!
    Interessante a ideia... Vou conferir, pois adoro o seu nome. Participar é difícil, pois poesia não é minha onda.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Conto envolvido em mistério, como a própria Vida.

    Abraço.
    Jorge

    ResponderExcluir
  4. grata pela visita, Jorge (gostei de seu blog).
    Outro abraço

    ResponderExcluir
  5. Gostei do que li.
    Voltarei. : )
    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Obrigada, Catarina, também te visitarei!
    Outros beijos.

    ResponderExcluir
  7. Com certeza voltarei para ler toda a séria.
    Adorei. :)))

    ResponderExcluir
  8. A minha barra na pg inicial está travada, não consigo por a Blanche para link.
    Grata pelo carinho.
    Excelente semana.

    ResponderExcluir

Desativado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.