2.3.13

Alfabetização


[01.JPG]
Mostrarei agora para vocês um pouco da minha paixão ( e motivo de meu sumiço)!  
Alfabetizar criancinhas de quase seis anos. Um trabalho artesanal e individualizado.
Começamos pelas vogais: correspondência grafofonêmica ( letra - som). As crianças repetem os sons de cada vogal, como na foto ao lado. 
Passamos pelos encontros vocálicos:  OI ;  AI, etc...
Todo o alfabeto, com as fotos das boquinhas de um menininho da idade deles, e formas das letras, fica afixado sobre a lousa.

Ao introduzir as consoantes, trabalho os pares surdo - sonoros: que têm a mesma boquinha:  começo pelo par  P / B.
Sigo com as  consoantes M e  N, que não são pares, pois só a M é plosiva (sonzinho com a boquinha fechada). A  letra N é nasal, mas pronunciada com a boca aberta.  A consoante L também não tem par. 

Curiosidade: as plosivas P / B  e  M (sem par), únicas de boquinhas fechadas, são os três primeiros grafemas que o bebê  produz, por isso  suas primeiras palavras costumam ser: "PAPAI, MAMÃE, BEBÊ, PAPINHA"; os pais dão significado ao "PAPAPAPAPA". Inclusive em diversas línguas de matrizes fonéticas próximas, estas palavras são parecidas.
Ó as boquinhas aí!  Lembrando que P/B têm uma só foto, com a mãozinha apoiada sob o queixo. M e N são pronunciadas com uma narina tapada.


Quem já observou um "Nenê" maiorzinho fazendo: "NÃNÃNÃNÃNÃ ; LÃLÃLÃLÃLÃ ? Eis a sequência (lógica).
      

Trabalho o parzinho T / D;  depois introduzo  os três pares F/V  ;  J/X ;  S/Z (aquelas em que a criança assopra o dedo indicador e sente um ventinho). As crianças tapam delicadamente os ouvidos com os dedinhos e fazem: T/D;   F/V;  X/J;   S/Z  por diversas vezes, até perceber a surda e a sonora: "uma sai e a outra entra".  Aqui há boquinhas para as oito letras citadas, par a par. F/V têm os dedinhos em V, "amarrando" o queixo.
       

Nos fonemas S/Z, puxa-se uma bochechinha.

    

Por fim, eu introduzo o C  ;   K  ;  Q,  fazendo par  com  a  consoante  G.   São três letras para um único som: o "CAN" gutural; difícil a beça para eles! As pontinhas dos dedos sentem a movimentação na garganta.
E ainda confundem o G com o H (GA), então demonstro que o H inicial não tem som, pois não há boquinha para ele.

O  "Rr" eu deixo para o final, pois trata-se de uma única boquinha para três sons diferentes: o R forte de "RRRato", onde se 'limpa" a garganta. O "r"  brando de arara, onde se "enrola" a língua.
E ainda temos o nosso R caipira aqui do interior paulista e sul mineiro, "ERRR de porrrrrta": o r retroflexo. Este fonema é exclusivo, somente nós o temos. De tão caipira chega a ser chique (pela exclusividade).
Esta sequência, recebi da Fonoaudióloga Cíntia (então doutoranda na UNICAMP).

O H, K, W e Y ficam sem boquinhas no alfabeto, porém há sons equivalentes que devem ser demonstrados: K eu já expliquei. W - V ou vogal U; Y - vogal I.
Importante fazer os sons onde o H vem após outra consoante: CH, LH, NH - som de X, L "enrolado", e N "enrolado".            
Estas atividades são orais, para o início da aula. Temos inúmeras outras para escrita. Demonstramos as quatro formas das letras, mas só utilizamos para escrever, a bastão (imprensa caixa alta).
Os termos "infantilizados" que utilizei aqui, são devido a faixa etária em que atuo; em sites fonoaudiológicos se encontra os termos técnicos adequados.
Outro dia falarei sobre a "Consciência Fonológica", que é outra coisa (também oral).
As fotos são da fonoaudióloga Ive, minha ex professora num curso de alfabetização fônica que fiz em 2005. A apostila (parcial), inspirada neste curso citado, é de autoria de minha atual Coordenadora (Beth Cruz), que ministrava um curso pago em outro município juntamente com minha atual Diretora.      
Não utilizo totalmente a apostila. Caso alguém a queira, está completa no link abaixo.
Não coloquei o alfabeto da Ive, porque está salvo no computador da oficina, remediei com as fotos da apostila por serem as mesmas da Ive, visto que aqui o foco é nas boquinhas.        
É possível salvar e ampliar, para imprimir com tinta colorida.    
http://promaluzinha.blogspot.com.br/2011/05/metodo-fonico.html
Veja minha aluninha A. ensinando um sonzinho à amiga M.:

       
                                                         

12 comentários:

  1. Te imagino uma professora das bem dedicadas e ativas, pelo que vejo aqui! Lindo! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Ah, Chica! Tirando a burocracia, quilos de papelada e intransigência das chefes (muitas chefes para poucas índias - como se diz), quando estou na sala com meus miúdos, me sinto plena!
    Quase vejo a evolução borbulhando em seus cérebros.
    Outros beijos caipiras.

    ResponderExcluir
  3. Logo após o 25 de abril, andei a alfabetizar adultos, aqui em Portugal. Foi um trabalho muito gratificante. Ver a alegria de velhos quando começavam a conseguir juntar as letras e a dar-lhes um sentido, é algo que recordarei para sempre!
    Beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carlos!
      Eu imaginava que em Portugal os adultos fossem todos alfabetizados. Na escola onde atuo, sempre houve a educação noturna para jovens e adultos, e há público: pessoas que abandonam e escola e depois voltam. É mesmo mágico quando eles conseguem começar a ler e escrever palavrinhas.
      Um beijo brasileiro.

      Excluir
  4. gente que coisa novissima pra mim. Achei isso mt bacana, mas tenho que dizer, ADOREI a boquinha do "O"

    :-)
    fiquei pensando agora como vou alfabetizar Pedro em portugues...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nina!
      Já vai treinando as boquinhas com ele (somente das vogais). Use um espelhinho e forme encontros vocálicos - tudo oralmente.
      Beijão sul americano.

      Excluir
  5. Puxa, Cristina, que trabalho árduo, bonito, merecedor de todos os elogios neste mundo.
    Ensinar o início a uma criança é obra de arte, é obra de quem é abençoado. parabéns!
    um super abraço, carioca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Beth!
      É tão bonitinho o rápido processo da maioria deles... a cada mês demonstram evolução.
      Quando já conseguem, pergunto:
      _ Quem te ensinou a ler?
      _Ninguém, aprendi sozinho.

      Acho tão fofo!
      Outro abração a ti.

      Excluir
  6. Que lindo trabalho o seu amiga, fiquei maravilhada com o post. Não é nada fácil conciliar tantas coisas, a cabeça deve ficar a mil. Parabéns pelo post e trabalho com seus miúdos.
    Meu carinho. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Verinha!
      Até estou sumida devido a muito trabalho mesmo. Grata pelo elogio.
      Um beijinho carinhoso do leste paulista.

      Excluir
  7. Salam, Cristina!

    Parabéns a bela professora que você é!!!
    Sucesso e boas aulas, sempre.

    Um abraço urbano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico grata, Denise! Devagarinho vamos tecendo a alfabetização com eles.
      Outro abração a ti.

      Excluir

Desativado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.