5.4.13

Pacto pela alfabetização

O que aprendemos neste curso do MEC, direcionado a todo o Brasil?
Imagem: pt.wikipedia.org/wiki/Brasil
Os direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetização em Língua Portuguesa, têm por finalidade, desenvolver plenamente os educandos, sendo então a escolaridade obrigatória às crianças a partir dos seis anos de idade, para que participem ativamente das esferas sociais, priorizando a leitura e a escrita. 
Direitos de aprendizagem gerais, e conhecimentos e capacidades específicas, compreendem leitura, produção textual escrita, oralidade e análise linguística. 
A progressão de conhecimentos segue as fases de introdução, aprofundamento e consolidação das aprendizagens, sendo necessário, por vezes, mais de um ano letivo para consolidar-se todo o processo, ou até mesmo a vida toda, conforme o caso. 
É importante atentar para os conhecimentos prévios, interesses e modos de lidar com os saberes trazidos pelo grupo de alunos, socializando-os. 
Em todos os anos de escolarização, as crianças devem ler, produzir e refletir sobre textos de diferentes esferas sociais e interlocução, atentando para valores e atitudes não discriminatórios. 
Os textos considerados prioritários no ciclo de alfabetização são os literários, focando fenômenos de fruição estética, imaginação e lirismo; textos acadêmicos que levem à reflexão e discussão; e textos midiáticos, onde se discute temas sociais relevantes. 
Ao final do processo, o que se espera é que a criança consiga compreender e produzir textos orais e escritos de diferentes gêneros, veiculados em suportes textuais diversos, atendendo a propósitos comunicativos variados, considerando as condições em que os discursos são criados e recebidos. 
A leitura deve progredir, partindo do auxílio de um ledor, até atingir-se a autonomia, assim como a escrita, que deve partir do apoio de um escriba até alcançar o domínio do Sistema de Escrita Alfabética. 
A oralidade deve envolver interações sociais, escuta atenta, intervenções, produção oral para destino escrito, com pertinência e consistência, relacionando fala e escrita, valorizando a diversidade linguística, diferenças culturais e tradição oral. 
A Análise Linguística deve contemplar discursividade, textualidade e normatividade, enquanto paralelamente ocorre a apropriação do Sistema de Escrita Alfabética. Eis, então, o que leva os professores a alfabetizar letrando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desativado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.