15.12.13

Criminalidade



Sexta-feira, enquanto eu ajudava na produção, lá na oficina do Par, trabalhando e conversando com os funcionários, perguntei ao Português:
_ C., o que há de muito diferente entre Brasil e Portugal?
_ Decididamente o clima. Nós neste calorão e lá quase a nevar (no meu norte). Antigamente, a criminalidade também: lá não havia, agora se parece um pouco com cá, devido à crise.
_ Criminalidade excessiva? Aqui (no leste paulista)?
Refutaram em coro os outros funcionários, indignados. 
_ Não, pessoal, eu me refiro ao Brasil, ao que passa na TV e ao que vi e senti em "Futaleza".
Então ele relatou vários episódios horríveis sobre a capital do Ceará, no nordeste brasileiro.
Voltei a perguntar:
_ E aqui, C.?
_ Cá é calmo, e Poços de Caldas "tumem" (onde morou antes daqui).
Engraçado que para nós, Poços parece um pouco perigosa... Cidade maior, turística.
Todos os funcionários concordaram que o sossego daqui vale mais que o risco constante das capitais (no caso, Fortaleza).
O "Fiotão" e a namorada também pensam assim. Ele é engenheiro mecânico e se mantém conosco, mesmo sabendo que nas grandes cidades o salário é melhor. Ganhando o triplo, não teria a qualidade de vida daqui, pois os pais "corujas" lhe fazem tudo... e adoram.
A namorada faz UNESP aqui mesmo, pois detém o  mesmo pensamento. Já fez intercâmbio nos USA e voltou para o aconchego da família. É, a geração canguru está mais prudente.
Quanto à criminalidade, aqui também existe, contudo numa escala bem menor. Nós sabemos o que é sentir medo constante, sabemos por raciocínio lógico-matemático abstrato, contudo não sabemos pelo emocional, pelos órgãos sensoriais, pois nunca fomos abordados AINDA. 
Com a diminuição da taxa de fertilidade no Brasil, espero que o problema regrida progressivamente e não chegue até aqui, pois as famílias educarão melhor suas (poucas) crianças.
Quando vem um veículo blindado para consertar as rodas, compreendemos que é para transitar nas grandes cidades. Aqui não precisa.
Eu vou "bicicletar" de madrugada com o Par, todo domingo, a mais de um ano. Passamos pelos semáforos às 5 h 30 e os carros estão lá parados (um em cada semáforo) esperando abrir, pois não há ninguém suspeito, espreitando.
Vemos um mendigo dormindo de vez em quando, e há dependentes químicos perambulando (não vemos sempre), porém são pacíficos.
As generalizações é que são complicadas: até o funcionário português associa o Brasil a um país perigoso, mesmo não estando em perigo (e sabendo disso).

Imagem: daqui

8 comentários:

  1. Salaam, Cristina!
    superrelevante o seu relato! O Brasil é um país "continente", várias verdades e realidades.
    Não podemos generalizar mesmo,
    beijos e abraços.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, Denise!
    Acredito que deva haver mais locais calmos que perigosos neste "continente", todavia é o perigo que se sobressai.
    Eu viajo tranquilamente pelo interior mineiro e nunca tive problemas. Retirando alguns bolsões, é calmo como aqui.
    Sinceramente, adoraria que a violência em grandes cidades pudesse diminuir em breve.

    Outro beijão abraçado prá ti.

    ResponderExcluir
  3. Eu tendo familia no brasil,tambem concordo que cá em portugal não há tantos crimes,mas,no entanto,também temos que ter cuidado. Eu,por exemplo,faço ponto de cruz para vender e já fui enganada diversas vezes. Uma vez enganaram-me na internet no antigo hi5 dizendo que tinham um computador para vender e era mentira. Mas suponho que não seja deste tipo de crimes que falas mas sim de crimes violentos que metam mortes e coisas do género. Uma excelente semana querida Cristina,tudo de bom para ti!! Muitos beijinhos e fica com deus!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, Jô, os crimes violentos são os mais terríveis.
      Furto e estelionato exista até nas aldeias indígenas, contudo a frieza de certos crimes choca e traumatiza.
      Locais com grandes aglomerações humanas desumanizam certos indivíduos, que perdem o sentido de pertencimento.
      Aqui no interior ainda estamos longe deste ponto.
      Ah, eu adoro Portugal, e me parece tranquilo como aqui!
      Uma semana iluminada também a ti (já salvei tem blog).

      Excluir
  4. Olá Cristina!

    Venho ao teu blog pela primeira vez, por intermédio do meu, onde me deixaste um comentário numa postagem com o nome: O Fruto Proibido É O Mais Apetecido, que falava nas pessoas portadoras de deficiência motora. Foi há mais ou menos dois meses...
    Desculpa por demorar tanto tempo a retribuir a visita a responder ao teu comentário, mas estive com um problema no meu pc que só me permitiu voltar agora.

    Quanto ao teu post, Portugal e Brasil são muito diferentes. O clima, por exemplo, aqui neva a norte do país, aí faz muito calor. Mas também existe muito preconceito aqui e pessoas muito pessimistas. A criminalidade tem aumentado muito aqui, infelizmente.

    Beijos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris!
      Gosto muito de Portugal, do romantismo por ser um país mediterrâneo e toda a história que nos une a vocês.

      Há inúmeras questões envolvendo a criminalidade, conquanto creio ser o fator que mais afeta nossa qualidade de vida, pois serenidade é crucial.
      Outro beijos (de verão).

      Excluir
  5. Ola

    A criminalidade é sem duvida dos motivos que mais me faz recusar ir ao Brasil. Certo que nao se pode generalizar mas também é verdade que a criminalidade no brasil e na américa latina em geral é muito elevada. Ha mesmo paises com mais criminalidade do que o brasil. Comparando com Portugal entao nem se fala. Alias Portugal sempre foi conhecido como o pais dos brandos costumes. Tema que começa a ser posto em causa agora. O pior em Portugal é que os casos de crimes e assaltos violentos têm na sua maioria estrangeiros por tras, incluindo brasileiros e isso pode levar a consequências nefastas como o aumento do racismo. E penso que a criminalidade tem muito a ver com a corrupçao, mais mesmo do que com a crise. Seja onde ela for.

    ResponderExcluir
  6. Que tema difícil, hein Bruno?
    Tranquilidade, sistema de saúde eficiente e qualidade educacional me parece serem o tripé para uma vida digna, onde teremos condições para o trabalho e sustento.
    A corrupção realmente dá uma grande rasteira no tripé, trazendo crise financeira e afetando os valores sociais.
    Quanto a Portugal, eu não sabia que tantos estrangeiros vivem por lá, pensava que os portugueses é que estivessem a migrar à procura de trabalho.
    Me parece que em outros países europeus também tem havido problemas sociais envolvendo estrangeiros, o leva a uma certa aversão (compreensível) por parte dos locais.

    Ah, e se quiser conhecer o Brasil, não tenha medo, procure os inúmeros locais calmos, de preferência os não turísticos. Assim terá um passeio sossegado, barato e verá nossa autêntica cultura, sem maquiagem turística. Evitar as capitais é uma opção, que sabe você não vem para esta região?

    Até breve.

    ResponderExcluir

Desativado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.