17.2.15

Tomate e glicoalcaloide


Resultado de imagem para imagens tomates diversos

A Luma comentou sobre a preocupação da Bela quanto a ele. A Bela Gil é adepta da Macrobiótica e Ayurveda, duas filosofias orientais. O tomate é originariamente sul americano. Orientais não são devidamente adaptados aos antinutrientes / antimetabólitos de alimentos sul americanos.
A solanina é o tal antinutriente que o tomate traz. Para nós, sul americanos um pouco mais adaptados à dieta com solanáceos (batata inglesa, tomate, berinjela, jiló, jurubeba, pimentão e certas pimentas e outros menos comuns), não vejo problema em usar sem abusar do fruto. 
Dar preferência a tomates mais maduros e preferir pratos cozidos ajuda. Cozer não elimina o veneninho, mas potencializa o licopeno. O problema é todo dia comer salada de alface com tomates verdolengos,  usar tomate no lanche natural.
Tomates "de vez" (não maduros totalmente) realmente passaram a me assustar, pois meu Par tem esporão e gota. Evito (mas não aboli) alimentos inflamatórios como os solanáceos. As plantas desenvolvem essas toxinas para afugentar predadores, estão localizadas entre a casca e a polpa. 
Não sei por que a solanina é tão negligenciada, informação é um direito sobretudo para quem sofre com inflamações crônicas!
Sem radicalismos, evito colocar no mesmo prato várias solanáceas: batata inglesa com tomate (molho) e pimentão / berinjela com pimenta e tomate. Ingiro muita água para me banhar por dentro. 
Dou preferência ao pimentão vermelho, pois verdes as solanáceas contém mais toxinas. Evito exagerar no consumo: de 100 a 200 g por dia (peso cru), intercalando o solanáceo, é aceitável.
Cerca de 78% da solanina é eliminada pelas fezes e urina nas 24 horas após a ingestão, o resto se acumula. Teoricamente, a acumulação acontece na seguinte ordem: Fígado, Baço, Rins, Pulmões, Coração, Cérebro e Sangue.
Além de causar ou agravar um processo inflamatório crônico, em maiores consumos a solanina pode afetar o sistema nervoso central (alucinações e afins); as membranas celulares e gastrointestinais (hemorragias, edemas). 
Quem sofre do fígado (intoxicação hepática) e grávidas devem redobrar os cuidados, pois além de se depositar sobretudo nesse órgão, pode ampliar a incidência de anomalias do feto.
A batata inglesa realmente encolhi o consumo por três motivos: ela possui um carboidrato mais "fraco", é carregada de agrotóxicos, é inflamatória devido à solanina. Minha gastrite agradece. Quando a casca da batata está esverdeada, há solanina pura ali.
Não vejo motivo para pânico quanto a esta toxina, entretanto devemos estudar melhor a solanina e tantos outros antinutrientes naturais para compor pratos mais saudáveis. 
A Bela usa muita beterraba, que contém oxalato, causador de cálculo renal em pessoas predispostas. 
As brássicas podem agravar problemas na tireoide. 
A mandioca, o principal carboidrato de nossos indígenas (e tão rico) é considerada perigosa na Europa devido ao cianeto, tanino ( na folha) e outros. Nosso organismo é supostamente melhor adaptado a ela, pois consumimos desde a infância. Jamais masque mandioca crua ou folha da planta.
Uma substância antinutricional, se não for tóxica, é aquela que bloqueia o aproveitamento de substâncias importantes contidas num prato. O tanino diminui a digestibilidade das proteínas; o cianeto bloqueia o transporte de elétrons na cadeia respiratória (sufoca a célula) e causa bócio.
A nós moscada em excesso causa alucinações. Na Nova Zelândia amêndoas amargas não entram devido ao cianeto (sementes de cerejas também o tem - até sementes de maçã, porém em quantidades mínimas). 
Aliás, o amargor pode ser um forte indício de antinutrientes, um "aviso" da planta. Portanto, beber água de berinjela para emagrecer é arriscado...

7 comentários:

  1. ~ ~ ~ Muito bem, Cris. ~ ~ ~

    ~ ~ Só os tomates e batatas verdes apresentam níveis de solanina que merecem precaução.
    ~ ~ Os pimentos verdes não tanto, mas são muito indigestos.

    ~ ~ Tanto as batatas inglesas, como os frutos comestíveis das solanáceas possuem nutrientes saudáveis importantes.

    ~ ~ O licopeno do tomate é um excelente preventivo de alguns cancros, como o da próstata.

    ~ ~ Quando não tenho mamão, gosto de usar tomate fervido, pelado, na minha salada de fruta matinal. Combina muito bem com o abacate.
    ~ ~ O guacamole é uma delícia salutar, como entrada ou merenda. Um petisco mexicano verdadeiramente amigo da próstata e não só.

    ~ ~ Quanto aos restantes anti-nutrientes, é recomendado variar os alimentos o mais possível.

    ~ ~ Hoje comecei o dia com uma estupenda manga brasiieira.
    ~ ~ ~ Ó delícia!! ~ ~ ~

    ~ ~ Manga, abacate e bagas Gogi, regados com calda de hotelã- pimenta, adoçada com stévia...

    ~ ~ ~ Beijos amigos, deliciados. ~ ~ ~
    ~ ~

    ResponderExcluir
  2. Que fome, Majo! estou salivando; adoro todas essas frutas!
    Ainda consegui alguns mangotins (manga coquinho) orgânicos na última feira livre; de agora em diante, só manga com agrotóxico salva em câmera fria.
    Os abacates estão em plena safra, baratíssimos. O Par come toda manhã e coloco no suco (vitamina) verde. Há muito abacateiro na beira de estradas rurais para se fazer recolecção.
    Antinutriente é algo desconhecido por aqui: Quase ninguém sabe que produtos naturais podem fazer mal, entretanto antigamente os idosos conheciam os alimentos "reimosos".
    Variar e ponderar são palavras que combinam com temperança e sinergia quando o assunto é alimentação.

    Hoje eu e o Par fizemos coleta de goiabas (muitas) em beira de estrada rural e lembrei-me de ti.

    Beijão Brasil procê

    ResponderExcluir
  3. ~ ~ A pena que eu tenho de não ter ido contigo!!; ((

    ~ ~ ~ Grande abraço. ~ ~ ~
    .

    ResponderExcluir
  4. Oi, Cristina!
    Poxa... vai por terra a teoria que devemos comer de tudo um pouco e, eu fico assustadíssima em saber desses antinutrientes, ainda mais quando atualmente dizem que os antigos eram muito supersticiosos com os alimentos...
    Já vi a Bella falando mal dos pimentões, batatas... todos esses alimentos que citou que pertencem a dieta dos sul americanos.
    A minha dieta é uma mistura da mediterrânea com a oriental e nunca pensei na adaptação que cada homem tem com relação à sua natureza. Vai ver que é por isso que acontece tanto piriri nas viagens! (rs*)
    Obrigada pelos esclarecimentos! Vou moderar o consumo e somente comer os madurinhos.
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calminha, Luma! Comendo de tudo um pouco não ficaremos intoxicados. O perigo está no monopólio.
      Imagino os piriris dos Escandinavos quando aderiram maciçamente às batatas, sem um organismo adaptado a este carboidrato...

      Beijão cauteloso!

      Excluir
  5. Boas informações Cristina com as interações da Majo, numa verdadeira aula da correta alimentação balanceada.
    Eu confesso minha ignorância nesta arte e a minha cultura mineira de alimentação sem moderação.
    Mais uma otima partilha nesta campo.
    Abraços
    Parabens pela pagina sempre com um tema importante e interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tonin!
      A Majo é minha correspondente portuguesa!

      Os mineiros, intuitivamente, mantinham uma distância inteligente dos alimentos considerados "reimosos", que é algo parecido ao cuidado com os antinutrientes.

      Grata pelo apoio,
      Abração

      Excluir

Desativado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.