6.3.15

Me lembrei agora...

Resultado de imagem para imagem espiga em casca
... Daquela ida ao milharal. Distante, e nem tanto. Dona Aparecida, minha segunda mãe à época de 1976, fizera esta roça num cantinho cedido pelo patrão. Roçado viçoso, verdinho, com espigas de babar!
Ganhei várias unidades, e pela promessa de que não me esquecesse dela. Como esquecer? Caminhamos longamente as duas: Na ida e na volta. Conversa boa, de senhora para menina de 12.
Nem sei se caminhamos ou flutuamos, pois passamos tão leves pela estradinha tortuosa em meio às pastagens, cafezal, outras culturas. Voltamos carregadas: de milho e de vida simples, vida plena.
Nossas havaianas empoeiradas, nossas vestes rustidas, rurais. Nós éramos um grão de areia e éramos o mundo... Nem sei porquê fomos sozinhas, visto que ela tinha três meninas abaixo de mim. Foi mágico estarmos sós, estarmos únicas. 
Mulher analfabeta, forte, de fibra, inteligentíssima. Fazia à mão roupas para as filhas usarem em casa. Plantava seu próprio amendoim para fazer paçoca. E quanta paçoca! Dividia com tantos... e tão deliciosas.
Lavava em bica d'água as roupas impecáveis. Cozinhava no fogão à lenha um tempero transcendente. Oferecia seus préstimos às vizinhas quando pariam ou adoeciam - e era de coração. Educava com firmeza as sete filhas e um único homem.
A casa desta mulher foi a última casa de chão em terra batida que pisei. O café desta mulher foi meu último café adoçado deliciosamente com rapadura. Os conselhos desta mulher ecoam, ecoam...
Ela vive, e mora aqui perto. Está velhinha, mas lúcida; sempre conversa com minha mãe na igreja. Com certeza esta senhora, sem saber, moldou parte de minha personalidade, consolidou parte de meu alicerce batalhador.

6 comentários:

  1. C ristina, que lindo texto e recordações que não se apagam! Valeu! Um lindo fds! bjs,chica

    ResponderExcluir
  2. Olá Chiquinha!
    O início da adolescência é mesmo uma época marcante. Momentos simples, com pessoas simples, entretanto tão significativos!

    Abreijos de cá, e ótimo final de domingo!

    ResponderExcluir
  3. ~
    ~ ~ Que lindo, Cris.
    ~ ~ Que bela homenagem a essa amiga e a todos os roceiros que trabalharam chão alheio.

    ~~~~ Abraço amigo. ~~~~
    ~~~~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho muita saudade da pureza rural, Majo... a cidade é tão complicada!

      Abreijos

      Excluir
  4. Época de puberdade: Muitos sonhos, muito gosto em ouvir histórias antigas, muito interesse pelos conselhos dos mais velhos!

    ResponderExcluir

Desativado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.