11.10.15

Passar quinze horas comendo?

Resultado de imagem para imagem alimentos industrializados
Este estudo revela a neura por trás da obesidade americana (do norte). Metade da população chega a mastigar por 15 horas em determinados dias da semana - praticamente o tempo em que estão acordados.
O único jejum para descansar o sistema digestório é o sono. Essa modernidade de comer seis vezes ao dia parece muito, entretanto para eles é irrisório. 
Indisciplina total - as pessoas comem até durante o trabalho! E comem carboidratos densos, açúcares, refrigerantes, comida industrializada... Que saúde aguenta?
Há inúmeros benefícios nesta comilança "suja": para a economia, geração de empregos, para os centros médicos especialistas em diabetes. 
A reportagem me assustou porque pode se tratar de um fenômeno mundial, e não isolado nos Estados Unidos. Já se cogita que a geração atual possa quebrar pela primeira vez a ascensão de longevidade na história humana.
Disfarçadamente instiguei uma dona de casa obesa gordinha e ela revelou beliscar praticamente de hora em hora "só uma coisinha".
Na sala de aula, também acontece de algumas crianças perguntarem muito se está na hora da comida, tanto no recreio, quanto na saída - eu achava que era ansiedade, vontade de ficar à toa - talvez já seja o vício de mastigar se instalando...
Depois desta drasticidade toda, comer alimento de verdade, de três em três horas, como fazemos em casa, juntando-se meu jejum semanal de 24 horas, parece até exótico e não o que deveria ser tido como correto.