12.10.15

Refrigerante ou água saborizada?

 Acima, garrafa térmica com a tampinha. Abaixo, lâminas de maçã saborizando a água.
Agora, lâminas de morango a saborizar a água - de agosto a outubro, estamos em plena safra (preço bom).
A quase dois anos na prática de Reeducação Alimentar e mais meio ano antes "degustando" muita teoria, a tempos não sinto mais necessidade de experimentar um golinho de refrigerante em qualquer evento.
Nunca me restringi de um pouquinho de vez em quando, nem mesmo quando necessitava perder DEZ kg. Me lembro que em alguns eventos no ano passado, até cheguei a me exceder e ficar arrependida. Hoje fico próximo de uma garrafa e nem ligo, fico na água que levo sempre - creio que esse foi o pulo do gato - estar sempre com água à mão!
Até comprei esta nova garrafa térmica, do jeitinho que queria: Na cor preta, que dá charme em qualquer evento; com capacidade de 1 litro, suficiente para duas pessoas; com a tampinha transparente servindo de copo.
Agora terei minha aguinha (do Rio Jaguari) saborizada bem geladinha e darei bom exemplo a outros em risco de síndrome metabólica - gente que não falta hoje em dia.
Nesta última sexta-feira, tivemos a festa da primavera na Escola, para angariar verba (crise no governo federal) e trabalhei no refrigerante o tempo todo.
Vendi muitos copos; fiquei lambuzada e melenta; fiz "escalda-pés" com guaraná - uma criança derramou o líquido dentro do meu sapato, e mesmo assim não usei o tiket que a Diretora forneceu para um copo grátis.
Espero que o mesmo ocorra a meu Par quanto à cerveja (glicemia alta)- estamos indo bem. Ele tem se mostrado razoavelmente resiliente!