20.11.15

Melou duplamente

Neste feriado da Consciência Negra havíamos planejado pedalar até a Prata, cuidar de algumas coisas em casa e rasgar a Mantiqueira, almoçando na doce Ibitiura.
Levantei-me costumeiramente às 4 h 30, adiantei desjejum do Par e meu suco verde, logo a chuvinha chegou. Foi aumentando, o dia clareou e só 8 h 00 consegui correr uma volta rápida embaixo de garoa.
Manhã delícia, parecendo um janeirão, porém sair de casa jamais... Coloquei roupa na máquina, estendi, arrumei meu quarto. A casa não vou limpar porque a Lucimara vem amanhã cedo.
Adiantei almoço - arroz com cenoura ao caldo de frango caseiro (para o filho), chuchu refogado, berinjela com carne moída, ovos cozidos. Lavei toda a louça e limpei fogão.
Está 22 graus, num chuvisqueiro quase constante, e eu de shorts e regata. Se não fossem os fogachos, estaria com meias de lã. Que novembro maravilhoso em águas! Aumentou a vasão do "Rio Sagrado", assim denominado pelos indígenas que aqui moravam.