20.11.15

Suco verde salgado e engordurado

Estou convicta das vantagens do suco verde; tomo a quase dois anos, desde que comecei minha reeducação alimentar. É meu café da manhã de TODO dia.
A rotina da ingesta diária é fundamental; se deixamos para "vez em quando" não rola. No início eu não coava, depois aprendi sobre fibras em excesso e passei a coar em peneira grossa.
Mais tarde aprendi que devemos engordurá-lo devido às vitamina lipossolúveis, e a melhor forma é usar um pedacinho de abacate. Na falta dele, serve uma semente como girassol (que sempre tenho).
Num comentário a um texto sobre o suco, que vi na Net, um moço perguntava sobre a possibilidade de fazê-lo salgado... Não deu outra, a partir daí, sempre coloco umas pedrinhas de sal grosso.
Eu deixava claro que não gostava do sabor, mas sim das propriedades, antes de começar a salgar. O suco salgado é muito bom, tem gostinho de salada!  
A trapoeraba (da foto) é meu carro chefe no suco. Essa plantei em volta da árvore da calçada, porém tenho-a em vasos no quintal. Não é linda?
Uso sempre limão (e um pedacinho de casca de laranja), gengibre (e cúrcuma fresca - quando encontro), a gordura, cascas e talos.
Faço com uma ou duas folhas. Pode ser folhas de couve, salsinha, chicória (que uso muito), beldroega, fazendeiro e picão (que pego na pista de corrida) sempre fazendo par com a trapoeraba.
Nunca usei fruta no meu suco verde, pois não gosto dele doce. Uso as cascas. Atualmente, as cascas de manga estão em alta aqui. 
Pode ser casca de banana, mamão, maracujá. Talos de alface e repolho, cascas de chuchu, pepino e de cebola são constantes.
Sabe que depois de tanto tempo meu paladar se habituou e até sinto falta quando viajo? É uma ótima forma de fazer reaproveitamentos na cozinha. 
A sobra da coagem com mais algum "rejeito" vira compostagem. Nunca tenho lixo orgânico, pois quando sobra comida, crio novos pratos; se ainda sobra, deixo pros cãezinhos lá na pista de corrida.