19.12.15

Agência de Turismo

A agência de turismo aqui de casa sempre fui euzinha... E isso cansa, viu? São muitos detalhes, estudos, preocupações para que possamos usufruir com proveito máximo. 
Excluindo os passeios nas redondezas, em que saímos ao léu, os outros mais distantes necessitam ser planejados e postos em prática primeiro por mim.
Se depender do Par, saímos sem destino, sem reserva e sem nem pesquisar pousadas, sem traçar itinerário, sem procurar os melhores pontos turísticos.
Um passeio sem detalhamentos prévios corre um sério risco de não ser otimizado. E mais: ter que ficar pedindo informações cá e acolá o tempo todo exaure.
Estamos de viagem para Minas de novo, outra vez, novamente. Vamos esmiuçar a região de Ouro Preto (Ouro Branco, Congonhas e Mariana - aquela da barragem).
Já reservei pousada ponderando o melhor custo-benefício, escolhi dormir em Ouro Branco - mais calmo e mais barato até para comer. Dali eu me dirijo às outras cidades com facilidade, voltando à tarde para descansar.
Estou lendo blogs e comentários de outros turistas sobre os principais pontos turísticos das quatro cidades, vou anotando detalhes importantes.
Meu Par ficou com a revisão da caminhonete e checagem das melhores rodovias ida e volta, pois gostamos de voltar por caminho diferente. 
As malas já estão prontas. Eu sigo uma lista que guardo na própria mala, com capa de chuva, repelente, remédio e muitos outros itens de precaução.
Vamos só os dois. É sempre assim, difícil conciliar com outras pessoas dias livres, locais de passeio, valores a gastar. Quanto mais velhos, menos amigos engajados.
Acima, Ouro Preto (Imagem Net)