30.6.15

Arte Tumular e Furlanetto



Toda vez que viajo, mesmo à praia, não deixo de visitar o cemitério da cidade em que me hospedo. Ali se encontra toda a história das pessoas comuns: Seus sobrenomes (etnografia), sua relação com a morte, o poder aquisitivo, a longevidade.
Minha cidade é famosa na região pelo museu gratuito a céu aberto existente no cemitério, com cerca de 300 estátuas de Furlanetto. 
No início do século XX, o escultor nato neste Município, filho de um italiano que aqui montou uma marmoraria, foi enviado à Itália por oito anos para estudar belas artes, pois as esculturas tumulares importadas não geravam grandes lucros à marmoraria. 
Lá apelidado de "Menino Americano" conquistou medalha de prata entre os colegas. Seu irmão Jácomo não se destacou.
Formado, Fernando voltou (conforme combinado) para trabalhar na marmoraria do pai. A arte tumular era moda na época, e a morte companheira constante nas famílias numerosas.
Suas maravilhosas esculturas, famosas pelos dedinhos tão perfeitos, se espalharam por igreja e cemitérios em toda a região.
Gostava mesmo de se dedicar à arte pura, sem a conotação fúnebre e a troca comercial, porém não podia se dar a esse luxo. Ainda há nas casas tradicionais do centro, algumas estatuetas suas, de exuberância total.
Morreu em 1975, aos 78 anos, deixando descendentes que ainda vivem no Município.

A imagem acima é Alfredinho Pirajá, esculpido em 1923 com apoio de uma foto, em mármore vindo de Carrara (hoje, nossa região de origem vulcânica exporta mármore e granito de qualidade para lá) .
Esse menininho, filho de um médico, morreu ao ingerir leite em pó estragado. O filho de Fernando, Antônio, serviu de modelo para pés e mãos. O detalhe da roupinha é impressionante!

“Para mim, o mármore é um fascínio; não sei fazer outra coisa. A escultura tem sido a minha vida, e agora que os olhos já não ajudam, sinto apenas tristeza...”.                Disse em entrevista, pouco antes de falecer.
Após sua morte, encontrou-se um caderninho com inúmeros devedores da região, que no calor das emoções encomendavam as obras, pagavam umas parcelas, e por fim se "esqueciam". Furlanetto não morreu rico, nem tem um túmulo suntuoso no "seu" cemitério.

Frituras

Chegado o inverno, as necessidades calóricas aumentam e o corpo pede gordura.
Os bolinhos de chuva, aqueles de massa esticadinha denominados "grust", ou de massa de pão acabam martelando na nossa cabeça.
É algo tão simples e gostoso, todavia calórico! Faço apenas de vez em quando.
Nesta época, devido à queda de temperatura, abuso das sopas, contudo logo vem aquele vazio no estômago, aquela sensação de "quero algo mais". 
Fiz a massa de pão "integral", com aveia, fibra de trigo e cenoura;  parte da massa eu fritei: Separei em partes e abri ao acaso.
 Fritas, ficam gordinhas feito pastéis de vento, e muito perfumadas.
 Quando faço fritura, uso caldeirão; espirra menos.
 Por dentro, fica oca, uma delícia com café coado na hora ou chazinho.
Marido adora, e eu me lembro das massinhas degustadas na roça, quando criança. As iguarias naquela época eram tão raras! De vez em quando um bolo de fuba, ou os bolinhos - mais comuns.

Síndrome de Burnout

Resultado de imagem para esgotamento profissional professor
É o esgotamento profissional físico e psicológico. Muita gente sofre sem saber que esse fenômeno acomete milhares de pessoas no mundo.
Atualmente, todos devem obrigatoriamente gostar de seus empregos, estar felizes aos domingos à noite para a "deliciosa semana" que se iniciará.
É exigência da época atual, nova tendência comportamental: Não se trabalha por dinheiro apenas, porém pelo prazer!
E quando isto torna-se o oposto? Aquele emprego é uma tortura... A emoção diz para abandoná-lo, porém a razão, nesses tempos de crise, impede o ato.
Quando é emprego menos qualificado fica mais fácil, pois a pessoa não tem muito a perder; todavia em cargos de chefia, empregos concursados, há que se ponderar muito.
Tanta gente estava relativamente bem no trabalho, de repente recebe uma promoção, e o que seria melhora, transforma-se em situação infernal.
Ou passa no concurso ao qual estudou tanto, inicia o trabalho que teoricamente era tudo de bom. Na prática a teoria é outra...
Nem sempre é possível voltar ao cargo anterior, menos possível ainda é jogar todo o emprego para o ar, e justo após a sonhada promoção? 
Surgem então os sintomas: melancolia aos domingos à tardinha; estômago revirado ao acordar na segunda; mal estar na terça-feira, na quarta. Será a entrada num processo de depressão ou não?
Extremo cansaço físico e mental, pesadelos, insônia às duas da manhã, gastrite, o trabalho martelando na cabeça o tempo todo.
Quinta-feira tudo vai clareando... Sexta é dia de êxtase. Na manhã de sábado é só flutuar. Você pode estar com a Síndrome de Burnout!
Tive isto no ano de 2003, após alguns anos com classes numerosas e aquela porcentagem básica de alunos com temperamentos difíceis.
Meu sonho de consumo era pedir as contas... todavia a minha vida dependia daquele sonho pesadelo realizado: ser professora.
Investi na faculdade (e curso magistério), vários cursos de pós graduação. E agora?
Aguentei firme. No meu caso, sem procurar médico. Sabia que se tirasse licença, entraria em pânico ao retornar. Frequentei os "Neuróticos Anônimos".
No grupo de auto ajuda, eu não podia, como os outros, desabafar. Como iria expor alguns alunos que estavam me "torturando"? Quem é louco de falar mal de uma criança? Como adultos podem ter medo de certos garotinhos?
Numa tardinha, quando ia pelo pátio com duas enormes filas de meninos e meninas, para entregá-los aos pais, a Diretora (a qual nunca fui íntima) disse:
_Você está magrinha demais!
Percebeu o quanto eu estava exaurida, abatida... Segui de cabeça baixa. De volta prá casa a pé, chorei no caminho todo. Chorei a realidade e o estresse, chorei as angústias por crianças desajustadas, chorei o reconhecimento dela, chorei a existência!
Mudei para o período da manhã em 2004 (tinha pontuação suficiente para conseguir a vaga). Meus problemas melhoraram muito com esta simples mudança!
Hoje amo o que faço, mesmo com alunos apresentando Transtorno Desafiador Opositor.  Sempre haverá dias difíceis, sempre haverá alunos difíceis. 
Meu conselho é: Não só faça o que goste, porém aos poucos, aprenda a gostar do que necessite fazer!
Imagem

28.6.15

Café com manteiga?

 Foto: iStock
Eu tomei tanto café com manteiga na infância... Era algo comum na zona rural. O hábito de molhar o pão caseiro (muitas vezes já duro) com manteiga na xícara de café deixava aquela borra salgadinha. Acabado de ingerir o pão, ficávamos apenas com o café amanteigado.
Muita gente se acostumava com aquilo e acrescentava mais uma pontinha de manteiga à mistura. Lembro também que era medicinal - como fortificante, para pressão baixa, garganta irritada e grande ajuda no parto. Toda mulher ao parir em casa, tomava para acelerar as contrações.
Nem sempre tínhamos leite, pois as vacas caipiras eram poucas e só aleitavam com bebês. Comprávamos na fazenda ao lado, porém não todo dia, e se fazia a manteiga. 
O "café preto" era servido indiscriminadamente às crianças, o bule ficava à vontade na beira do fogão de lenha em qualquer casa roceira.
Agora, por espanto, tenho lido sobre o tal café com manteiga (repaginado) como se fosse uma novidade da dieta cetogênica, algo inventado nos USA...
Promete melhorar o desempenho cerebral e concentração. Por ser uma receita baixa em carboidratos e alta em gordura, também ajuda a controlar a compulsão alimentar.
A dieta cetônica reduz  a quantia de glicose para o corpo queimar gordura como combustível, o que aumenta a perda de peso. Há  inclusive este site sobre o assunto, com o nome "Café com Manteiga".
A dieta cetônica foi oficialmente aconselhada na Suécia para combate à obesidade, apontando como vilões carboidrato,  açúcar e amido.
Imagem
Lembrando o Filósofo: "Só sei que nada sei".

24.6.15

Eu e as crianças

É comum professoras dizerem que criança "come" material escolar, se referindo figurativamente ao fato de "detonarem" tudo.
Não é incomum, entretanto, crianças literalmente comerem material escolar: lápis, borracha, cola, giz de cera, folha de caderno, tesourinha.
Tesourinha? Ma, vá!
Como não era de bom tom fotografar a criaturinha mastigando avidamente o instrumento de trabalho doado por mim, mostro-lhes apenas o resultado final.
Enquanto terminava a obra de arte, as atividades rotineiras ficaram à deriva. E a borracha, então? Ele masca, masca e atira nos colegas o restinho babado. 
Se chamo-lhe à atenção, lá vem palavrões, tentativas de tapas. Se dou colo, vira bebê de dois anos...  Se enrosca, se embrenha em mim. Lembre-se: É necessário ser doce com criança, qualquer criança.
Para amenizar danos, de uns dias prá cá, eu enfiei sua carteirinha entre minha mesa e o  cantinho da parede. Ele está todo orgulhoso por ser meu ajudante!
Percebeu por que professor tem mais férias que o restante do contingente global? E por sinal, elas estão chegando: Duas semanas de recesso de inverno para preparar projetos pro segundo semestre.

Tarde morna e morta...

Resultado de imagem para telefone antigo para colorir
... Exceto pelo telefone que toca sem cessar lá na "Mão na Roda". Com certeza, algum cliente de outro município não compreende por que não lhe atendemos nessa tarde "normal" de quarta-feira.
Feriados municipais assim causam algum transtorno, principalmente se a pessoa é desavisada e se desloca à cidade em questão e perde a pernada.
Amanhã cedo, com certeza terá cliente se condoendo por não ter podido retirar a mercadoria que estava em reparo conosco.
O dia esteve nebuloso, com sol espiando de soslaio, a meia-cara. O silêncio na vizinhança, poucos veículos a transitar.
Marido ronca no sofá; filho trabalha normalmente na fábrica, para trocar dia. E eu aqui, só no chazinho de melissa sem adoçar!
Adoro ficar deliciosamente confinada em casa. Saio a semana toda para trabalhar; saio a vida toda para trabalhar. Não sair e curtir a tarde sozinha, navegando por aqui, é "bão" por demais.
Daqui a pouco vou correr na pista da esquina, e andar descalça na última volta, e colher mais melissa para desidratar, e sentir a brisa do fim de tarde, e apreciar o deserto em volta da pista, e espiar o marido a contemplar-me de longe.

PS: Havia muita gente na pista - molecada aproveitando uma brisa gélida que surgiu, soltando lindas pipas; crianças bicicletando; adultos curtindo a paisagem.
Após a corrida, fiquei com meu Par num dos bancos a observar descompromissadamente a vizinhança. até o cair da noite.

Desfile

Resultado de imagem para imagem desfile tiro de guerra
Cidade do interior costuma ter vocação para desfile. Todo ano, temos dois desfiles pela principal avenida "no espigão" da Cidade. 
Hoje, aniversário - 194 anos, costuma ser mais comemorativo, com figurinos especiais.
Em sete de setembro é um desfile mais cívico, onde as crianças podem usar apenas o uniforme escolar.
Sempre o carro-chefe é o "Tiro de Guerra", especialmente quando temos algum conhecido compondo o grupo.
Eu tive o namorado (o Par), meus dois irmãos e o "Fiotão" como "soldadinhos", e foram com certeza os melhores desfiles que presenciei.
Com o arrocho nas verbas públicas, até mesmo a tradicional queima de fogos à meia-noite foi cancelada.
Tivemos que improvisar e reaproveitar material de anos anteriores. Então fez-se uma luz e utilizamos o rico figurino das apresentações do grupo de dança de nossa escola.
Cada ala representou um tipo de dança diferente: Cowboy, anos 60, charleston, Michael Jackson, musicais...
Antigamente os desfiles eram um acontecimento na cidade, hoje se vê que o público geralmente comparece apenas para prestigiar algum familiar que está participando do evento.
Talvez seja um reflexo da alienação causada pelo advento da Internet, ou a própria cultura juvenil que aproveita feriados assim para dormir até o almoço.
Eu, após vinte e tantos anos trabalhando com crianças e tendo que participar do evento a trabalho, acabo por perder o encanto também. Afinal, por mais diferente que parece, no fundo um ano é quase igual ao anterior...

Imagem Google.

Circo

Resultado de imagem para tenda circo
Cidade do interior combina com circo. Circo sério de respeito.
Pense agora num circo ruinzinho, xinfrim mequetrefe...
Ontem levamos as crianças; muitas nunca haviam pisado numa tenda circense. Mereciam um espetáculo melhor.
Tudo bem, que por R$ 3,00 não se esperava muito, entretanto eram várias escolas - picadeiro lotado.
O palhaço, um adolescente insonso, não fazia rir nem uma galinha. Figurino descuidado.
As outras poucas atrações eram básicas - arroz com feijão "sem mistura".
Euzinha?
Fiquei virada de costas, observando avidamente a vida normal de uma dona de casa nômade. Ela havia feito um quadro qualquer para as crianças e já estava na lida doméstica.
Sua casa-trailer grande e bem simples, tem uma máquina de lavar roupas do lado de fora e ela as estendia em dois varais daqueles móveis.
Eram roupas aparentemente pertencentes a um casal e duas crianças. Crianças que não podem frequentar escola...
Vendo-a limpar a "casa", prestei atenção aos tapetes, bem encardidos devido à terra fofa do local. A rapidez na limpeza é grande, espaço pequeno.
Na frente, um "encerado" servindo de varanda, e uma única cadeira para curtir a fresca nos fins de tarde. Uma antena de TV a cabo fixada numa roda velha, ao chão.
Sua morada fica bem longe das outras, exposta próximo à entrada. Sacos de latinhas vazias da noite anterior aguardavam ao lado da porta, porta esta com uma cortininha para fingir privacidade.

21.6.15

Cumprindo metas

Lembra deste post? Então, após três meses:
Resultado de imagem para imagens de metas
1- Voltei a levar água prá cama e tomo de madrugada;  tomo-a também em jejum . Por que havia parado? Habito reconsolidado.

2- Tomo sol (a pino) por 15 minutos (frente e verso) uma ou duas vezes na semana, do busto às coxas, enfatizando as nádegas. 
Para adquirir vitamina D3, a parte da pele mais branca aumenta a eficiência. Tão bom que viciei total. 

3- Piso toda tarde de domingo em chão batido (terra, grama ou areia)  após correr na pista aqui da esquina. Descarrego toxinas eletromagnéticas e recebo íons negativos. Nem parece mais que piso em espinhos...

4-  Gostei do guaca-pesto, porém faço bem pouquinho. Intensificar aí, Cri! 

5- Garapa, água de coco (no coco) , polpa branca da fruta e óleo de coco foram trocados por abacate, gordura de porco (moderada) e chá sem adoçar. Garapa e polpa  de coco são tão calóricos! E o óleo de coco é caríssimo...

6- Para ômega 3 e selênio estou ingerindo ovo, sardinha e galinha caipira. Preciso melhorar esta meta!

7- Estou tomando leite fermentado só uma vez por semana. Para meu Par, continuo fornecendo diariamente (ele precisa mais).

8- Quanto ao peso, apenas com mais uma volta na corrida (de 4 para 5 km) e diminuição do açúcar, cumpri a meta. Baixei quase 2 kg em quatro meses (400 gr por mês).
É a velha matemática: Queimar mais; ingerir magro. Meta cumprida, voltei aos 4 km, com monitoração.

9- Espero que o jejum terapêutico aliado ao magnésio, consigam descer meu colesterol para 180. A sala de aula é muito estressante. Estresse eleva colesterol.

10- Não cumpri a última meta... Por que os dias encolheram tanto? Tenho QUATRO caixas de livros literários para ler. Recesso escolar à vista!

Somos meros animais?

cor-alimentos-11
Não estou falando sobre espiritualidade ou uma possível "veia alienígena" apregoada por exotéricos. Falo da composição química de nosso corpo-casa.
Se somos o que conseguimos digerir, então somos também vegetais. Creio que até mesmo os esquimós mais isolados, nos poucos meses de verão existentes em seu habitat, usufruem de vegetais (ao menos mirtilos).
E os minerais?
A Organização Mundial de Saúde (OMS) elenca cerca de 20 minerais fundamentais para o bom funcionamento de nossas células: magnésio, zinco, manganês, selênio, cobre, silício, cálcio, ferro, potássio,  iodo,  fósforo, enxofre, sódio, cloro e outros.

Magnésio: Organiza o cálcio. É Antiestresse, anti-infeccioso, cardioprotetor, atua na manutenção da temperatura corporal. Sua ação combate acne, dermatoses, manchas senis, verrugas, prisão de ventre, aumenta a hidratação da pele e melhora o sono.
Fontes: cereais integrais, folhas escuras, legumes, frutas (citrus), leguminosas, gema de ovo, cebola, tomate e mel.
Exemplo: 1 xícara de folha escura refogada (suco); 1 xícara de arroz integral; ½ xícara de cereais integrais; gotas de limão, 1 maçã. Acima dos 40 anos, deve-se suplementar com colher (café) de magnésio quelato/ dia;

Zinco: Sua deficiência está relacionada ao envelhecimento precoce. Atua como cofator em muitas enzimas, auxilia na digestão, na regeneração celular e cicatrização.
Fontes: carnes, peixes, leguminosas (lentilhas), cereais integrais, vegetais, açafrão e gengibre. Consumir 12-15 mg/dia como exemplo: 1 xícara de lentilhas cozidas; 1 xícara de brócolis; ou ½ xícara de germe de trigo;

Manganês: Essencial no aproveitamento do cálcio, fósforo e vitamina B1; na formação óssea  e metabolismo de aminoácidos, colesterol e carboidratos (açúcares). 
Sua deficiência resulta em redução na produção de insulina, aumenta processos oxidativos, prejudica o fator de crescimento e promove anormalidades esqueléticas. 
Fontes: frutas oleaginosas, grãos, cereais integrais, gema de ovo e folhas. Consumir 2-5 mg/dia (ex.): 1 xícara de arroz integral; 1 gema de ovo; ou 1 colher de sobremesa de nozes;

Selênio: Essencial para a formação de enzima antioxidante, melhora a utilização da vitamina E; retarda o envelhecimento e previne doenças cardiovascularesA falta do selênio causa dores musculares, fadiga e fraqueza muscular, além de manchas brancas nas unhas
Fontes: carnes,  fígado, aves, frutos do mar, cereais, castanhas, farinhas integrais, gema de ovo. Consumir 40-70 mg/dia como exemplo: ½ peito de frango assado; 1 fatia de pão integral; ou 1 sardinha;

Cobre: Ajuda na respiração celular, no metabolismo do ferro (hemoglobina) e na formação de melanina na pele.
Fontes: fígado, cereais integrais, legumes, lentilha, figo, banana, damasco, passas, ameixa, batata e espinafre. Exemplo: 1 pera; 1 xícara de arroz integral; ou ½ fígado cozido.
Na prática, com um copo de suco de folhas escuras, consegue-se a quantidade recomendada de cobre, magnésio e enxofre por um dia; 



Silício: Age na formação dos vasos e artérias, pele, membranas,  unhas, cabelos e cartilagens. Auxilia na mineralização óssea. 
Fontes: Amora, aveia, cevada, salsa, nabo, avelã, feijão, escarola, alface, abóbora, azeitona, cebola;

Cálcio Importante constituinte dos ossos e dentes. Atua na coagulação sanguínea, na contração muscular e no funcionamento dos nervos. Combate infecções e mantém o equilíbrio de ferro no organismo.
Fontes:  Queijo, iogurte, nozes, uva, cereais integrais, nabo, couve, chicória, feijão, lentilha, gergelim e castanha de caju;

Ferro: Indispensável na formação do sangue.  É um dos componentes da hemoglobina, mioglobina e enzimas respiratórias, sendo de fundamental importância para a respiração celular. É veiculador do oxigênio para todo o organismo.
Fontes: Fígado, rim, coração, gema de ovo, leguminosas, verduras, nozes, frutas secas e azeitona;

Potássio: Atua associado ao sódio, regularizando as batidas do coração e o sistema muscular; contribui para a formação as células.
Fontes: Azeitona verde, ameixa seca, ervilha, figo, lentilha, espinafre, banana, laranja, tomate, carnes, vinagre de maçã e arroz integral.

    Iodo: Faz funcionar a glândula tireoide; ativa o funcionamento cerebral; permite que os músculos armazenem oxigênio e evita que a gordura se deposite nos tecidos. Fontes: frutos do mar, sal de cozinha iodado e laticínios.
    Fósforo: Atua na formação de ossos e dentes; indispensável para o sistema nervoso e o sistema muscular. Junto com o cálcio e a vitamina D, combate o raquitismo. Fontes: Carnes, miúdos, aves, peixes, ovos, leguminosas, queijo, cereais integrais.
Enxofre: Entra na constituição de todas as proteínas celulares; é importante nas cartilagens, cabelos, unhas. O excesso de enxofre é eliminado pelas fezes e urina.
Fonte: carne, leite, ovos, queijos, cereais, frutas secas, cebola, alho e couve flor.  Combate asmas, erupções, cefaleias, reumatismos;

Sódio: Suas funções principais são a contração muscular, a transmissão nervosa e o equilíbrio hidroeletrolítico. O recomendado é 1,5g/dia, que corresponde a 5g de sal de cozinha (que não é única fonte de sódio). 
O excesso aumenta a pressão arterial, doenças cardiovasculares, renais e interfere na absorção e metabolismo do cálcio. 
Em casos raros quando o sódio sofre uma queda abrupta, ocorre a hiponatremia, com confusão mental, letargia, anorexia, convulsões, coma, náuseas, vômitos, câimbras, fraqueza. Nesse caso, é importante a restrição hídrica e a reposição de sódio.

Água: Nascemos 70% água e após os 50 anos de idade vamos diminuindo até a faixa dos 60%. Uma máquina velha tem engrenagens corroídas que pulam dentes, apresenta folgas entre as peças - necessita mais graxa. Somos assim. O mecanismo da sede não é bem desenvolvido em humanos.

Parte desses minerais precisam ser suplementada e a outra parte, monitorada para ingerirmos adequadamente.
Alumínio, Chumbo, Mercúrio, Arsênico, Cádmio, Níquel são minerais tóxicos contaminantes e devem ser evitados ao máximo.
Minerais essenciais como Cobre, Molibdênio, Selênio, Ferro e Silício, se ingeridos em quantidade excessiva, também podem se tornar tóxicos.

Depois de tantos minerais, parece que o vegetarianismo perdeu o sentido...

Inverno e chá

Resultado de imagem para imagem chá
Neste outono, tive uma libertação! Após um mal estar psicológico por não poder mais adoçar meus chazinhos - a consciência doía - tive que improvisar.
É que açúcar faz mal, então deixo-o pros sólidos. De vez em sempre quando ainda tenho que mascar alguns doces; é um de meus maiores vícios.
Adoçante raramente usava e aboli total; e meu mel, ah, meu mel delicioso não é para gastar com chás. 
Prefiro ver meu mel purinho, espesso, cheiroso e castanho numa xicrinha de café. Sem contar que aquecido, perde propriedades, pois compro direto do produtor, sem pasteurizar, e guardo em geladeira.
Sem açúcar, adoçante ou mel, qual alternativa sobrou? A mais lógica, claro! Tomar meus chás quentinhos apenas ao natural.
A camomila sozinha não me agradou, então "casquei" sementes de erva doce. O troço ficou bão! E faz dormir mesmo... Uso nos dias em que não consumo sal amargo magnésio, que também é sonífero.
Melissa, hortelã, capim cidreira e alfavaca vão muito bem sozinhas, pois possuem lágrimas que remetem ao doce instantaneamente.
Com as cascas secas de citrus estou me adaptando, pois deixam um leve amargor. Entretanto após estudar suas propriedades, me esforçarei para que o paladar aceite.
Chás em sachês eu pulo, pois possuem fungicidas.
Dá prá fazer chá com casca de banana? Brincadeirinha, agora que as coloquei no lugar da fibra de trigo em pães, não sobram pro chá.

Imagem Google

18.6.15

Herpes Zoster

Resultado de imagem para zoster
Antigamente chamado cobreiro.
Qualquer pessoa que teve catapora em algum momento da vida pode desenvolver Herpes zoster. O vírus não é parente dos outros causadores de herpes. Seu nome é varicela-zoster.
Depois da recuperação de catapora, o vírus fica alojado em gânglios próximos ao sistema nervoso e permanece "amoitado". Sempre que tenta sair do esconderijo, é atacado por nossos anticorpos.
Permanentemente à espreita, um dia ele se aproveita da baixa imunidade de algumas pessoas e se desloca para a pele, produzindo bolhas de dor intensa feito agulhas penetrantes.
Antes das erupções surge ardor, cócegas ou formigamento na área e sintomas gerais de virose.
São mais frequentes na cintura e no rosto, em forma de faixa - terminando na metade do corpo. As bolhas se curam em cerca de três semanas, por vezes, deixando cicatrizes.
O incômodo pode recidivar sempre que houver uma queda da imunidade do paciente.
Grupo de risco entre os que já tiveram catapora: Idosos, portadores de AIDS, em tratamento por câncer, usuários de medicamentos contínuos debilitantes. Uma a cada cinco pessoas que tiveram catapora terão ao menos um episódio de zoster.
Vacinas podem diminuir as chances de se ter a doença, enquanto o tratamento precoce reduz a chance de complicações.
Além da dor intensa, causa danos estéticos e pode ser transmitido através do contato direto com a "grosseira", levando o infectado a contrair catapora (se nunca teve a doença).
Não há cura, porém o tratamento com antivirais como Aciclovir, Valaciclovir ou Famciclovir, está indicado nas primeiras 72 horas para acelerar o processo e prevenir complicações. A auto hemoterapia também é praticada nos casos severos.
Principallmente pessoas debilitadas, bebês e grávidas devem manter distância de pessoas com zoster para evitarem contágio, pois uma simples catapora pode evoluir para varicela grave. Entretanto, todos que não foram vacinados e nem tiveram a doença, se contagiarão.
Quando a dor com erupção cutânea forem perto de um olho e não tratada, a infecção pode causar 
danos permanentes à vista.
A prevenção é através da vacinação, recomendada para pessoas com mais de 60 anos de idade e liberada para quem tem mais de 50. Crianças vacinadas contra a varicela também estarão se protegendo de um futuro risco.

Meu cunhado teve antes dos 50 anos. Não procurava ajuda e a purulência foi circundando a cintura até quase o umbigo. Ainda hoje muita gente contrai a lesão e não tem noção do que seja.
Também me lembro da infância roceira, tantos e tantos casos de cobreiro... Eram tratados através de rezas, simpatias. O povo achava que se pegava através da roupa que tinha sido contaminada por um inseto, um réptil (cobra).
Neuralgia pós-herpética
É a fase crônica, onde a dor persiste por mais de um mês após o desaparecimento das lesões. Acomete 10 a 15% do grupo. Dura de 30 dias a anos e os sintomas são queimação e pontadas na área, dor persistente e extrema sensibilidade ao toque.
O estado geral de desconforto afeta atividades diárias, levando à melancolia.
Imagem

17.6.15

Desintoxicação

Desta vez eu falo em desintoxicar o Brasil.
Brasil
Sabe aquelas pessoas obesas (geralmente oriundas da fome pós-guerra) que se entopem de guloseimas freneticamente como se não houvesse consequência?
Ignoram alertas médicos, compartilham dos gracejos entre amigos estilo "tô nem aí" e vão se afundando na gula até que uma doença silenciosa MUITO grave lhes sacode feito terremoto.
Esta investigação sobre a Petrobras, iniciada lá fora (portanto séria) foi este tremor necessário ao país portador de "síndrome metabólica". 
Com o governo à deriva, ele mergulha em crise e pode enxugar sofridamente diversos quilinhos, entretanto é também a chance de tornar-se saudável através da mudança dos hábitos arraigados e viciosos. 
As famílias / empresas / prefeituras que tinham maior controle orçamentário serão os "órgãos" menos doentes desse organismo e o manterão vivo durante a "internação em spa".
A eliminação de parte da corrupção através do "suor na academia" pode beneficiar etapas futuras e fazer desse obeso, um futuro "moço musculoso cheio de vigor".
A "comilança desvairada" do "rapaz Brasil" durante os anos petistas, sob pretexto de "ajudar a agricultura" o deixou com "dívidas na mercearia" e doenças pelo corpo.
Neste processo árduo e melancólico, gangrenas terão que ser amputadas e excesso de pele retirado. Órgãos internos exauridos deverão ser extirpados estilo "vão-se os aneis, ficam os dedos". 
Resta esperar que o tratamento, com internação em unidade de terapia intensiva, seja feito sob tutela dos melhores especialistas, para que as sequelas (inevitáveis) sejam as menores possíveis; afinal, este mancebo ainda é jovem e resiliente.
Nesta dieta bombástica recém iniciada e sem prazo para terminar, certas empresas estão operando com 15% da produção. Até quando aguentarão a sangria terapêutica? Inclusive o próprio arroz da merenda escolar está racionado e  já chegando a conta-gotas.
O Brasil oba-oba finalmente caiu em si e estraçalhou a espalhafatosa fantasia, escancarando um corpo nu assustadoramente deformado. 
Arregace as mangas com real comprometimento nesta terapia, que te daremos apoio espiritual (e também nosso sangue). Não podemos, de bobeira, perder em 7 X 1 desta vez!

15.6.15

Criança e percepção distorcida

Resultado de imagem para imagem distorcida

Meu aluno, todo empolgado, meu puxando pela roupa:

_  Tia, Tia! Tô tão feliz!

_  Por que, meu anjo?

_  É que de agora em diante, meu pai virá me trazer e buscar à aula. Não será mais a tia.

_  Como assim?

_  É que ele e uns amigos perderam o trabalho, lá onde ele dirigia muuuuitos caros...

13.6.15

Quer morar no interior? Parte 3

Resultado de imagem para imagem segurança
De vez em quando recebo um e-mail com dúvidas sobre a qualidade de vida no interior. A dias recebi um pedido reincidente e aqui vai:
Aí no interior é seguro
Até o ano passado era. Atualmente duplas de moto descobriram que capacete e arma de fogo são o par perfeito para o crime. Passaram a barbarizar o comércio.
Furtos em residências por "nóias dependentes químicos aumentaram a 5 anos. Cada vez mais pessoas instalam câmeras, alarmes e cercas elétricas em suas casas (empresas do ramo estão nadando em dinheiro), sobem os muros e trancam os portões. 
Furtos de carros e motos parecem ter se estabilizado a tempos. Pelo menos, casos de estupros são poucos. 
Ainda há crianças que vão sozinhas à escola e pessoas a pé em altas horas da noite, entretanto essa cultura está mudando.
Não temos favelas, nem famílias inteiras morando na rua (alguns itinerantes da região que vão e vêm). Comparado a grandes centros, ainda há relativa segurança. O programa "Vizinhança Solidária" tem sido implantado em alguns bairros, e pretendo trazê-lo pro nosso.
Na adolescência eu estudava à noite e voltava a pé para casa, tranquilamente. Meu filho quando criança ia sozinho ao futebol, clube.

Tem bom policiamento?
Ainda não estou convencida disso. A uns meses eles tem passado mais nos bairros, porém bandidos entraram na edícula da vizinha e ela chamou. Não vieram de jeito nenhum.
Criou-se a lei proibindo capacete em postos de combustíveis e fora da moto (entrar em lojas). A multa é de R$ 500,00. Cidadão de bem não pode esquecer ao adentrar o posto, senão é ele que sofrerá, pois bandido vai roubar do mesmo jeito...
Muita gente paga aqueles guardinhas de moto, que passam na rua apitando de quando em quando pela madrugada. De longe o bandido sabe onde estão.
Entre meus parentes próximos, só meu irmão teve a casa arrombada, com furto de eletrônicos pequenos; fez B.O. e deu em nada. Nunca fomos assaltados: nem na rua, nem na oficina, porém o risco aumentou demais, ergui meu muro e já cotei cerca elétrica (daquela industrial, mais forte).

É possível andar na rua sem se preocupar com assalto?
Nas portas de banco o risco é maior. Claro que não se deve portar dinheiro, pois há olheiros. Durante o dia pode-se caminhar tranquilo pelo centro e bairros. 
Nas madrugadas há grupos drogados perambulando pelas ruas, o que pode acarretar perigo. O maior perigo atual é mesmo as duplas de moto assaltando o comércio.
Nosso maior problema tem sido a criminalidade crescente atrelada ao uso de entorpecentes por adolescentes. Dá medo em deixar a casa sozinha, dá medo das duplas de moto devido à oficina.
Na minha época, adolescente trabalhava e estudava à noite, não tinha tempo para formar gangue. Hoje raramente se contrata antes dos 18 devido às restrições - até aí já descambaram.

Imagem Net

Quer morar no interior? Parte 2

De vez em quando recebo um e-mail com dúvidas sobre a qualidade de vida no interior. A dias recebi um pedido reincidente e aqui vai:
alimentação é cara?
Alimentos naturais de qualidade não. Eu gasto cerca de R$ 45,00 por semana na feira livre, com queijo, mel, hortifruti em quantidade. 
Produtos do mercado variam pela marca. Temos quatro mercados grandes e muitos mercadinhos de bairro. Eu cozinho em casa toda madrugada, comer fora encarece um pouco.
Os restaurantes populares a quilo vendem marmita grande a R$ 12,00, suficiente a um casal, se acrescentar uma saladinha. O quilo para consumo in loco varia segundo o estabelecimento e o dia da semana.
Dá para montar um prato saudável por R$ 10,00 evitando molhos e carnes com ossos (pesados).  Conheço casais que usam estas estratégias e não cozinham nunca.
Nos fins de semana, é comum os restaurantes rurais, a 25,00/ 35,00 por pessoa. Servem de 40 a 60 variedades, muita sobremesa caipira e apenas bebida paga à parte.
Produtos de cuidados pessoais, higiene e limpeza saem caros se não houver moderação e economia (creio que como em todo o Brasil).

E a água?
Bebe-se da torneira, filtrando sempre (pode haver contaminação nos canos). Há quem compre de galão e "se acha"! Nossa água nasce cristalina na Mantiqueira (foto) e é coletada direto no rio, antes de chegar à cidade. Ela e as montanhas são nosso maior tesouro natural.
Na cidade vizinha, a água mineral jorra solta, é só encher o galão. Muitos vão lá no fim de semana e já fazem um lazer.

Como faço para conseguir um bom imóvel? E a locomoção?
É fácil alugar ou comprar, de acordo com as possibilidades de cada um. A maior oferta é de casas térreas em qualquer bairro. Pessoas de classe média baixa geralmente possuem casa própria (popular) e mais de um veículo. A maioria se locomove em carro próprio (ou moto como eu) - tudo é relativamente perto; ninguém demora horas até o trabalho local.
Crianças vão à aula com vans pagas ou levadas pela família. Há ônibus escolar gratuito para bairros distantes e zona rural.
Infelizmente, ainda não temos ciclovias e o trânsito em horário de pico é um risco e desestímulo a quem vai trabalhar de bicicleta. Temos o serviço básico de ônibus circular e muitas centrais de moto-taxis.

Escolas para as crianças:
A cidade é bem servida de escolas / creches públicas e privadas para crianças de todas as idades. No ensino médio temos "Anglo" para os mais exigentes e a escola federal citada. Daqui de casa, nos quatro pontos cardeais há 4 creches totalmente gratuitas a no máximo 15 minutos a pé, com vagas.

E a saúde?
Casos especiais são encaminhados ao hospital da UNICAMP e outros centros hospitalares especializados da região. Temos postos de saúde nos bairros com bom atendimento, pronto socorro central (a qualidade do atendimento dependente da demanda do dia), centro de especialidades administrado por profissionais da UNICAMP, outros centros especiais, um hospital filantrópico que atende pelo SUS e um da UNIMED. Planos de saúde temos UNIMED e do hospital filantrópico (o meu).

Envelhescência:
A cidade envelhece rapidamente e não está NADA preparada para acolher idosos dependentes. Não temos nenhum asilo (clínica) público, só filantrópico e particulares (caros). Há um projeto na Prefeitura para construção imediata de apenas UMA casa-dia. Precisamos de uma por bairro urgentemente.
Idosos com demência são cuidados em casa, geralmente com revesamento dos filhos ou contratação (dispendiosa) de cuidadores. Nem sei como se dá com a população de baixa renda...

Quais os principais acontecimentos?
O que dá de falar nas rodinhas de fofoca sobre a cidade são acidentes, suicídios, assaltos, eventos, chegada ou saída de empresas (contratações e demissões). Veja notícias nesse jornalzinho popular e nesse mais tradicional.

E o sotaque?
Não é mais tão carregado como antigamente, exceto pelos mais velhos e pessoal da zona rural / periferia. Eu particularmente adoro nosso sotaque caipira, onde o L costuma ser trocado pelo R - meio "espanholado" (borsa - bolsa / carcinha - calcinha).
O R é retroflexo - entortando-se a bochecha (errrr) e existem palavras peculiares (terreiro - quintal / campear - procurar) e expressões (ê lasqueira / larga mão).


Na verdade, aqui temos o melhor dos dois mundos: Alta tecnologia nos polos interioranos e a cultura caipira raiz, sobretudo aqui ao lado, em Minas. O clima é bom, com ajuda das montanhas.

FOTO MINHA

Quer morar no interior? Parte 1


De vez em quando recebo um e-mail com dúvidas sobre a qualidade de vida no interior. A dias recebi um pedido reincidente e aqui vai:
Que interior é esse?
Embora eu brinque, aqui não é bem o cafundó. Estou no interior do coração nervoso do Brasil. Aqui no município há UNESP com dois cursos; há Instituto Federal, uma universidade particular e uma autárquica. Na região há excelentes escolas; meu filho faz especialização aqui ; eu fiz aqui e aqui à distância.
Quais as possibilidades de trabalho melhor remunerado?
Professor universitário, especialista na área educacional (diretor, supervisor), profissional liberal (advogado, contador, dentista, médico...), cargos de chefia em empresas (distrito industrial), pequenos empresários e altos funcionários bancários / públicos.
Não temos grandes empresas, portanto mesmo os cargos de chefia não são devidamente remunerados. Balanceando com o custo de vida baixo da região e vivendo com familiares também no mercado de trabalho, tem-se um bom saldo.

Me dê exemplos:
Vou falar pelos meus próximos. Eu sou professora alfabetizadora, marido possui uma usinagem - reparo em rodas e afins; filho é engenheiro mecânico aqui; meu irmão trata nossa água (SABESP); a esposa dele trabalha no SEBRAE; irmão do marido possui caminhões.
Muitos parentes e amigos, como o marido, são microempresários - vidraçaria / auto som / produtos naturais / salgateria / salão de beleza / boteco / assistência técnica / mercearia / loja de roupas ou acessórios / restaurante rural / feirante / produtor rural / locatário de imóveis / informática / clínica veterinária e fisioterapia/ serralheria / borracharia / reparos de carros e motos...

 vagas de empregos convidativos?
Depende da área e época. Para profissionais liberais, apenas contadores estão em falta. Professores requerem concurso, porém há um contingente elevado para lidar com crianças. A indústria carece de especialistas de auto nível, mas paga relativamente pouco, como já disse. 
O mais lucrativo é achar um nicho de mercado e montar um negócio, porém a carga horária geralmente é grande e funcionário especializado é difícil.
A três meses, o comércio começou a sentir a crise. Os consumidores estão mais cautelosos e temerosos, o movimento caiu visivelmente.

Qual a média salarial para uma vida de classe média baixa?
Com casa própria (herança ou cedida pelos pais), carro e moto (para economizar gasolina) e duas crianças em escola pública (sempre presenteadas pelos avós), um casal trabalhando fora pode viver com três salários mínimos e meio, sem faxineira, nem plano de saúde e com viagens à praia uma vez ao ano, vários passeios regionais. 
Essa é a média salarial da maioria dos casais com ensino médio completo trabalhadores do comércio e indústrias locais (tomando por base meus alunos). Com disciplina, ainda  dá para  colocar algum na poupança. 
Prestadores de serviços autônomos (pedreiros, eletricistas) ganham mais. 

Há viabilidade para dois empregos?
Professores, médicos, pessoas com turnos de 12 h por 36 (carcereiros, enfermeiros e afins), turnos de 8 h seguidas ( 6 h / 14 h) conseguem conciliar dois trabalhos. 
O restante tem carga horária que ocupa o dia todo, mas conheço quem faça "bico" aos sábados. Muitos, mesmo com certo horário livre, se contentam com um único trabalho. 
Eu fico na escola até meio-dia e à tarde na oficina, cuido da casa e família na madrugada e fins de semana, com ajuda de faxineira meio período semanal. 

Há muitas vagas em meio expediente?
NÃO. Só professoras e os casos acima, além de diaristas e trabalhadores rurais que deixam algum dia livre. Quase todo trabalho é em período integral.
A nossa oficina abre de segunda à sexta das 7 h às 18 / sábados das 7 h às 12. Nossos colaboradores sempre passam das 44 h semanais, fazendo horas extras. 

intervalo de almoço?
No distrito industrial, que tem refeitório gratuito, geralmente uma hora. No comércio tem-se 1 h e meia a 2 h, para ir em casa almoçar (ou num restaurante popular). Aqui, come-se arroz com feijão ao almoço (nada de sanduíche). 

Muitos jovens procuram grandes centros para empregos melhores. Tenho sorte em manter meu filho ainda comigo. O custo dele é muito menor morando com os pais.
Ele teria que ganhar o dobro ou mais para viver sozinho nas mesmas condições, nesse caso compensa um salário menor no interior.

Shopping?

Resultado de imagem para shopping Poços de Caldas
Recebi uma pergunta via e-mail, se há shoppings nesta região e outras opções de lazer.
Olha, em minha cidade, com 80.000 hab., há um projeto de construção para poucos anos. Frequentamos em Poços de Caldas a 40 km daqui, com 2/3 de rodovia em pista dupla. Este prédio foi inaugurada a 10 anos, porém a apenas 5 está bem estruturado.
"Fiotão" e a namorada usufruem bastante, pois aqui no Município temos apenas duas salinhas de cinema "meia boca" e um Mc Donalds inaugurado a 2 anos.
Antigamente, íamos de vez em quando até Campinas a 120 km. Totalmente em pista dupla a quase 15 anos. Era cultural lotar os shoppings de lá no aniversário da Cidade - feirado apenas local.
Uma noite mais sofisticada para jovens descolados, com várias opções de restaurantes, várias peças de teatro, danceterias "invocadas" também é possível apenas fora. Há muitas cidades grandes no interior de SP.
Temos determinadas semanas de arte, que atraem público de toda a região. Temos um belo teatro com atrações intermitentes. Ocorrem três importantes semanas culturais no segundo semestre.
Para curtir aqui mesmo, é comum o aluguel de chácaras para eventos (aniversários, casamentos). Também temos festas públicas e particulares em datas pontuais.
Nesta época, as festas juninas imperam em escolas, igrejas, prefeitura e locais particulares. No mês que vem começa as festas de peão na região.
Na região há hotéis-fazenda, muitos restaurantes rurais ou pesqueiros para o almoço de domingo e grupos formam passeios de jipe, moto, cavalo, bicicleta ou carro de passeio, visitando cidades vizinhas, cachoeiras e as famosas montanhas (meu lazer favorito).
E por fim, as jantas que ocorrem em "ranchos" ou sítios / chácaras, geralmente só para homens, em determinadas noites da semana (dias úteis).
Toda quarta, meu Par tem vaga cativa  num rancho com grupo de borracheiros, funileiros e afins. Às quintas, a janta acontece num sítio de um dono de oficina mecânica. Ele revesa com visitas quinzenais.
Rancho aqui, é uma chacarazinha rural para fins de lazer e pescaria, que dá fundos ao nosso rio Jaguari Mirim, tendo um ou mais proprietários.

Imagem