23.1.16

As comprinhas pro Par



Fui ao mercado pegar cocos, abacates e duas garrafas de vinho.
Sim, meu Par tem tido progressos com o vinho... 
Já consumiu a primeira garrafa, ainda consorciando com uma porção de cerveja. 
Antes, porém, passei na Mãe e Ni. Elas estavam comprando da Senhora que traz quitutes de Minas.
Comprei salame da zona rural de Piumhi;  queijo curado (de leite cru) e  linguiça caipira da terra da vendedora - Ibitiura
São alimentos que ele consome muito, contudo não tão processados como na grande indústria.
Nossas vacas criadas soltas pela Mantiqueira produzem um queijo rico em minerais.
Ela vende aqueles doces que o Par não pode (ele não curte açúcar). A Mãe comprou tijolo de cidra e a Ni,  rapadura (me segurei para não trazer uma - deixa prá próxima semana).
De quebra, a Mãe tinha acabado de refogar abobrinha e mandou p/ ele. Ela faz a abobrinha batidinha com a faca à moda antiga, melhor que ralada.
Voltando ao vinho, é fundamental a adaptação a um produto de qualidade e com certeza, da região.
Ele escolheu um clássico tinto seco "Casa Geraldo". É preparado com uvas Cabernet Sauvignon (consideradas rainhas das tintas). Produto da cidade vizinha de Andradas.
Seu aroma, além de cereja e amora, traz notas de pimentão verde (seu diferencial) e pimenta negra, com taninos persistentes.
Educar o paladar viciado em cerveja, para apreciação do vinho fino, requer algum tempo. Portanto, é importante a degustação cotidiana e manutenção de um único varietal.

Sua glicemia está alterada? Em primeiro lugar, fuja da cerveja - ela é puro carboidrato (pão líquido) e contém muito glúten - inflamatório. É só ler o rótulo!