12.1.16

Dendê: pipoca e abobrinha

Domingo à noite fiz pipoca de acordo com este livro da Bela, que a Nora me presenteou no natal (Vê lá se pipoca precisa de receita?).
A pipoca leva pimenta e azeite óleo de dendê - porque azeite é da azeitona e dendê é do coquinho palma.
Realmente a pimenta dá um toque especial, porém Fiotão não gostou (chatin prá comer). O dendê não interfere no sabor, todavia imprime uma cor amarelo-vivo que é um encanto.
Sobrou e congelei. Sim, pipoca congelada conserva a crocância por dias... Ontem à noite tirei do freezer e comi imediatamente. Perfeitas!
Com o dendê, refoguei uma abobrinha caipira, que ficou também amarela e linda. Deixei "al dente" e gratinei com queijo curado. Hummmm!
Acho que o dendê ganhou cadeira cativa aqui em casa. Eu vinha namorando aquela garrafinha a tempos, entretanto temia pelo sabor supostamente forte. Que nada!
Tenho cisma do azeite (óleo de oliva) pela distância do ponto de produção. Pode oxidar no transporte (embalagem inadequada, calor, luz, sacolejo, barulho, umidade) e até ser adulterado. Nâo vejo a hora em que a produção da Mantiqueira se torne comercial.
O dendê é do Brasil (e da África) e seus carotenóides,  que conferem a coloração laranja, constituem valiosa fonte de vitamina E / pró-vitamina A - retinolEle também reduz o LDL.
Imagem

O que mais gosto no jeitinho da Bela cozinhar é a postura política em relação aos nutrientes. No geral, as receitas são simples e com poucos ingredientes (claro que há tabus exagerados). No final do livro, temos muitos sites de seguidores, com "belas" receitas.