22.1.16

Férias com espinhos X momento curto e maravilhoso

Mãe à esquerda da Ni.
Quarta-feira tive um dia singelo, simples, feliz. Ontem não! 
Ontem, na oficina, faltaram dois colaboradores pela manhã (avisados), o Par ficou espumando pelo canto da boca de tanta afobação.
Corri daqui e dali, porque férias, só da escola - enquanto a oficina bomba.
Fui ter com a Mãe lá na lojinha da igreja (brechó) quando já passava das 4 h 00. Dei de cara com ela sozinha... e fiquei desconsolada...
Cadê a moça deficiente auditiva? Aquela é de veneta, às vezes ajuda, às vezes atrapalha.
E cadê a Ni, a vizinha tão querida?
Mãe deu-me uma patada daquelas, e qualquer desculpa esfarrapada... 
Já tem algumas semanas a desconfiar que Mãe fez arte - ela humilhou até a vizinha mais querida, de 20 anos dentro de casa... Vizinha que eu amo e ajuda a ficar de olho na Mãe.
Não deu outra - Mãe desandou falar mal da neta da Ni - para ela, a avó. Ni ficou magoada e chateada, nem tem ido à casa da Mãe - 20 anos de amigas.
Mãe se arma com duas pedras para não ficar de vilã. Não se emenda, nunca teve papas na língua - falta de ralar trabalhando fora, de receber ordens, de obedecer sem contrariar. Dona de casa mimada.
À noite, explodi. Chorei e desabafei, até chateei o Par. Fui lá fora e atirei um prato - despedaçou-se em 1000! Expeli os demônios interiores que me melancolizavam. Terapia boa que uso a décadas!
Par foi à janta no rancho e me tranquilizei sozinha. Hoje falei com a Mãe via fone, porém nem toco no assunto... 
Estou terminando um tapete para a Ni; e fiz pão caseiro. Levo amanhã, com carinho. Entretanto, meu amor pela Ni precisa muito da mediação da Mãe... 

O dia foi belo, tão cotidiano. No meio da tarde, ao buscar um pagamento numa firma à beira da rodovia, me aproximei das montanhas aqui no extremo oeste da Mantiqueira. 
Parei a moto, curti. Fiquei maravilhada - que Planeta encantador! E afinal, tudo fica bem sob a luz refrátil das montanhas verdinhas.
Agora chega desse chororô que a vida anda; um cliente chegou. Tenho que entregar um serviço, pois ele é de fora e não pode vir durante o dia. Pelo menos, tem um bebê lindo e deve estar lá fora a sorrir!