1.1.16

Os festejos

Viajamos, como sempre fazemos, por toda a semana natalina para aproveitar as curtíssimas férias do Par e evitar o burburinho do fim de ano nas estradas e locais turísticos.
Passamos todos, a virada costumeiramente à irmã do Par que mora logo ali. Mãe passou com irmão e cunhada na casa de velhos amigos à Prata.
Logo após meia-noite, lavei louça e fomos saindo para vir dormir. Após deliciosa chuvarada fina e constante e friozinho, ontem e hoje conseguimos pedalar de manhãzinha à Prata.
Lá, um moço pardo, mulambo, bonzinho e meio bêbado veio pedir dinheiro. Não carrego carteira para pedalar. Me disse para levar na próxima! Quase fiquei amiga do mendigo enquanto o Par falava com idosos que colhiam água mineral.
Almoçamos sós; a família continuou na irmã do Par, porém para nós um encontro basta. Filho foi à família da namorada. Aproveitamos para uma merecida helioterapia; logo a chuvinha voltou.
Ah, ganhei da Nora o livro de receitas da Bela e fiquei radiante. Adoro suas dicas nutricionais, embora não concorde com todas, claro!
Estou tendo um problema sério com o relógio... Mal o dia clareia e a tarde já vem chegando e logo a noite e tá na hora de dormir para tudo recomeçar. É o tempo linear, o cíclico e o subjetivo - todos os três em complô contra mim. Injusto isso nas férias!
Pelo menos em meio à quebra de rotina, o peso está a muito estabilizado nos 60 kg e o Par vem diminuindo bem aos pouquitos. Passei a correr mais rápido e menos voltas, quando a chuva deixa.
Creia que não consegui ler um livro sequer. Tenho vários começados que sobraram do ano e tudo emperrou. Ainda tenho que me programar para ir à Mãe consertar roupas. Já pensou se eu tivesse "Face"?