13.2.16

Monodieta

Resultado de imagem para imagem monodieta
* Texto específico para meus estudos autodidatas.

 O medo é resistência ao desconhecido - busque conhecimento"
Monodieta desintoxica o organismo, pois rejuvenesce o aparelho digestório e principalmente limpa e revitaliza o sistema linfático, cujos metabólitos de determinadas substâncias são drenados e eliminados.
Alivia doenças crônicas ao diminuir células de gordura, placas nas artérias, muco, inflamações, tumores, fungos (candidíase). Traz fluidez a todo o organismo.
Muitos desequilíbrios orgânicos são de origem digestiva, devido a combinações incompatíveis de alimentos, exageros alimentares, excesso de industrializados (hiperpalatabilidade). Toxinas se espalham e atingem órgãos vulneráveis.
Estando o sistema disgestório congestionado, alimentos não são eficazmente digeridos, causando má absorção de nutrientes e seus princípios terapêuticos.
Cada alimento necessita uma enzima específica para digestão e espaços diferentes no sistema digestivo. Também PH diferentes, sucos digestivos diferentes. Enzimas específicas trabalham em PHs diferentes.
Na doença, antes  de pensar em comer para melhorar, o ideal é focar no que deixar de comer!
A prática da monodieta pode ocorrer uma vez por semana. Fica mais fácil naqueles dias em que estamos atarefados, sem tempo para refeições pausadas em família ou longe de casa.
O consumo de um único alimento dissociado dos demais por um dia, traz renovações orgânicas, comportamentais e reflexivas quanto às refeições cotidianas.
Pode ser efetuada com caldos (de carne caseiro, feijão, de cenoura, canja, de baroa, mingau de fubá, etc) com temperos naturais. Pode uma única variedade de fruta, legume ou verdura (refogado é mais digestivo que salada, indicado para o jantar).
É importante manter três refeições de monodieta num intervalo de 8 horas, deixando o organismo repousar nas outras 16. Exemplo: se alimentar às 11 h, 15 h e 19 h  ou  9 h, 13 h, 17h no dia específico para tal.
Necessário tomar muita água e chás de folhas frescas sem adoçar, nos intervalos e no período de 16 h em jejum.
Fundamental refrear o impulso de beliscar qualquer guloseima ou outro produto nesta data de monodieta.
As frutas devem conter menor índice glicêmico: 3 bananas prata (e não nanica); três fatias de mamão formosa (e não papaia), três pedaços de melão (e não melancia), três maçãs verdes (e não vermelhas); três peras, três goiabas.
Os caldos de leguminosas podem incluir um dos quaisquer tipos: grão de bico, ervilha, lentilha, feijão comum, fava... demolhados por 12 h em água com vinagre antes de cozer para minimizar os antinutrientes.
Para males específicos, opta-se por monodietas específicas: abacate ameniza estresse e é cosmético; inhame para infecções e inflamações crônicas; melão combate males genecológicos; caldo de abóbora madura baixa a glicemia.
A prática semanal melhora a percepção sensorial, liberando novos canais de consciência através do descongestionamento da mente, visíveis pela sensação de leveza. O empoderamento também se amplia.
Maaaassss   para que a prática seja eficiente, nos outros 6 dias semanais, o máximo em alimentos  in natura são recomendados, além do estilo de vida saudável, evitando maus pensamentos e preocupações excessivas (carências).