26.3.16

TAG 2


Resultado de imagem para imagem pé de pavão
Voltando às perguntas da leitora:
Paixão estranha: plantas de casa, apartamentos, qualquer planta baixa. Sempre amei. Comprei o terreno dessa minha casa aos 18 anos e meio (de sociedade com o namorado - hoje marido).
Vergonha: já tive bastante, hoje assumi-me como trelelé e tudo vale. Na verdade, tenho vergonha de levar bronca de alguma mãe de aluno (apenas quando é pertinente).
Medo: mandarová (lagarta) é pavor. Também de doença, tempestade e bandidos, claro (aqui ainda há poucos). Não tenho medo de morrer e talvez seja o fim da linha, tanto faz.
Acredito em Deus como energia vital e energia coletiva, não necessariamente na vida eterna, algo após a morte. Precisamos dessa energia maravilhosa em vida.
Gosto de todas as estações do ano e vejo a beleza especial de cada uma, embora o final do outono me seja triste, provavelmente pelo encurtamento dos dias e aumento do frio.
Roça: sou rural, sinto a conexão com o universo, adoro fazer recolecções, plantar e colher. Talvez quando me aposentar volte pro mato.
Afazeres domésticos: fácil lavar e passar, cozinhar amo e lavar louça é obrigação - não me habituei com lava-louça, talvez pela marca do aparelho. Mercado e feira livre até gosto. Passo os fins de semana fuçando daqui e dali. Faxina eu pago, é muita coisa para fazer - se tivesse a segunda-feira livre ou ajuda familiar...
Animais não tenho; tive uma cadela vira-latas por 15 anos, morreu no banheiro do meu quarto... Nunca mais. Gosto de animais doméstico úteis: galinha, porco - sou pragmática demais para ter um poodle, por exemplo.
Incômodo: falar ao telefone, prefiro olho-no-olho (deixo o fixo fora da tomada). Também salto alto, maquiagem, penduricalhos - só gosto de pulseiras . Adoro ter cintos e lenços, contudo não uso. 
Perfume: a maioria me incomoda, uso desodorante sem perfume desde sempre. Gosto do cheiro natural das flores silvestres, dos locais abertos, da chuva, das pessoas (e de minhas crianças, mesmo que suadinhas).
Sempre gostei de meu cabelo, rosto, peso, corpo, com exceção dos pés - prefiro calçado fechado. Minha avó paterna dizia que éramos pavões (Pavani) - pé de pavão é horrível.
Prato: Amo legumes refogados quentes e sopas, caldos com carne. Ultimamente, salada verde - eu fiz amizade com as saladas, afinal! Amava arroz, aprendi a desgostar pela falta de nutrientes.