2.4.16

Diabetes - kefir e low carb


Resultado de imagem para imagem kefir
Vamos desaprender os velhos hábitos arraigados e reaprender a nova ciência da nutrição:
Por que será médicos recomendam carboidratos a um diabético - intolerante à glicose? Arroz, bolachinhas e pão integrais são venenos para portadores de glicemia alterada - açúcar puro.
Se sou intolerante a um produto qualquer como a lactose, elimino-a da dieta. Não é o mesmo com os glicêmicos?
Os principais vilões são farináceos refinados, assim como açúcar em geral: branco - sacarose; xarope de milho e até frutas muito doces / mel - frutose;  leite - lactose.
Alimentos que passam pela indústria são minimamente processados / processados / ultraprocessados. Os minimamente são apenas secos e embalados (grãos); processados incluem enlatados e afins; ultraprocessados são todos aqueles pacotinhos com inúmeros aditivos (bruxarias - comida lixo) - consuma com muita moderação!
O kefir de leite intercalado semanalmente com kefir de água (sem exagero), aliados a uma alimentação low carb, estarão curando os intestinos e nutrindo adequadamente o portador de glicemia alterada.
E a fome? 
Ora, a gordura de fontes naturais cuida dela!
Abacate, azeitona (processada), coco são frutas gordas. Carne natural com sua própria gordura, muito ovo, laticínios integrais (manteiga no lugar da margarina), banha de porco caseira no lugar dos óleos - ultraprocessados. Amendoim e oleaginosas. 
De quebra, o peso diminui gradualmente, o abdome globoso vai desaparecendo, a pressão arterial se normaliza, os triglicerídeos que eram 500, 750, baixam para próximo a 100.
Low carb não é zero carboidrato. Há os carb inteligentes, naturais (banana, tubérculos e afins - ao jantar para melhorar o sono). Não se preocupe que até no talo de salsinha há carboidrato - celulose, que vai alimentar a microbiota!
***O carboidrato celulose não é digerido por nosso intestino onívoro, então compõe o bolo fecal. Para isso, necessita de gordura para lubrificar e escorregá-lo, não travando.
Três refeições diárias (sem bebidas), em boa companhia e sem distração são suficientes. Comer 80% da fome, beber muita água nos intervalos, fazer sobremesa apenas com frutas. Abusar ao máximo de legumes e verduras (saladas, sopas, refogados, grelhados, gratinados).
Tomar sol a pino nas partes brancas - dos mamilos ao meio das coxas, 10 minutos de cada lado, ao menos uma vez na semana, dá conta da importantíssima vitamina D (e na banha também tem).
Dormir cedo, em ambiente calmo e adequado, sem TV ou qualquer ponto de luz, aumenta a secreção de melatonina - que propicia sono correto. 
Estar na natureza uma vez na semana e pisar descalço; fazer exercícios moderados; cultivar boas amizades; comer o que as tetravós comiam; evitar remédios farmacológicos; manter bons pensamentos e ver bonitas imagens.
Depois de tudo isso, repense a diabetes!
Lá na oficina, eu deixo um cartaz avisando que faço doação de kefir.