23.4.16

Vida no interior e recolecção

Quando pedalamos até Águas da Prata nas manhãzinhas de domingo, recolhemos frutas pelo caminho. A Prata é uma cidade - pomar.
Esses deliciosos ingás colhi em janeiro, duraram apenas 4 semanas nos ingazeiros!
Uma fruta em que se come apenas a película branca, aveludada e doce.
Depois de três meses colhendo mangas (novembro, dezembro e janeiro), foram mais três com as goiabas ( de meados de janeiro a meados de abril). Colhi as últimas retardatárias semana passada.
Essa compota fiz com um pouquinho de açúcar mascavo, e só (mascavo não é low carb).
Folhas de melissa, que desidratei à sombra para chás salgadinhos nos dias de jejum intermitente - parte integrante de uma alimentação low carb. 
As goiabas de algumas semanas atrás, com limões e pinhões que compramos na estrada. Os pinhões uso em pequenas porções, como carboidrato de absorção lenta no jantar do Par. Riquíssimo em eletrólitos.
Agora estamos na fase dos abacates em abundância. As bicicletas voltam feito árvores de natal com sacolinhas dependuradas.
Aqui, ainda eram os primeiros, com suco de goiaba.
Outra compra na feira: abóbora madura, couve, chicória, mamão, tomates, banana prata, mel, ovos caipiras, cheiro verde, cebolas, cúrcuma fresca (açafrão da terra), banana nanica e mandioca com casca.