29.5.16

Ecogastronomia / recolecção de PANCs


Resultado de imagem para PANCs

Eu adoro as PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionais). Fui criada no mato e as consumo desde sempre - para mim, são convencionais sim!
Tenho beldroega graúda, azedinha e trapoeraba em vasos no quintal, uso no suco verde, omelete e enfeito saladas.
Compro serralha na feira sempre que encontro, assim como cambuquira (broto de abóbora).
Faço recolecção por aí de "erva de fazendeiro", "picão", "almeirão de barranco", beldroega miúda. Do caruru, uso o talo feito brócolis.
A ecogastronomia não é só isso: aproveita-se cascas, talos em preparações diversas. Eu sempre uso casca de citros, pepino, chuchu, alho e cebola no suco verde (meu suco é salgado - com algumas pedrinhas de sal grosso).
Meu suco verde é coado em peneira grossa, para manter um pouco das fibras. O que sobra, vira adubo de meus vasos.
Ah, não esqueça de engordurar levemente o suco com abacate ou semente de girassol, para não perder as vitaminas lipossolúveis!
Faço chás de canela com as mesmas cascas, água do cozimento da batata-doce ou do pinhão, ervas frescas - tenho melissa, alfavaca,  goiabeira e limoeiro em vasos para aproveitar as folhas.
Gasto muita banana prata verdolenga - duas dúzias por semana. Higienizo as cascas, coloco alguma no suco verde, outras pico e congelo.
Faço biomassa de casca de banana, cozinhando-as na pressão por 10 minutos e liquidificando com cúrcuma ( para clarear um pouquinho - ela contém nódoa escura).
Uso ao menos meia dúzia de maracujás roxos por semana e não desperdiço aquelas cascas maravilhosas. Também vão para a pressão, raspo a parte interna, liquidifico e tenho uma biomassa clarinha, cremosa e levemente amarguinha.
Congelo as biomassas em copos descartáveis, etiquetadas.
As duas biomassas vão para pães; sopas de carne com legumes e talos; carnes refogadas - engrossa o caldo; almôndegas / hambúrgueres; panquecas e qualquer outra massa, mesmo doce.
No feriado de quinta-feira, fiz um frango caipira com biomassa de casca de banana - Ficou um "molho pardo" alternativo e muito saboroso, pois essa biomassa riquíssima em fibras quase não tem sabor e aderiu perfeitamente, engrossando o caldinho.
Hoje fiz hambúrguer assado com biomassa de casca de maracujá e temperos, pois a de banana solta água. Delicioso e rico! 
Também tenho pães congelados (fiz 5, um para cada semana). Usei as duas biomassas e mandioca amassada. Fica divino num sanduíche aberto com ovo caipira estrelado.
A biomassa de maracujá serve de base para sorbet; basta acrescentar qualquer fruta - ou o próprio maracujá. 
Ah, e já começou a nova safra de maracujá roxo! É muito importante escolhermos os produtos da estação - mais baratos, frescos e colhidos no tempo de maturação. Tem a ver com o movimento "Slow Food".

2 comentários:

  1. Olá Cris, lendo esta postagem viajei no tempo e quando comecei a ter contato alimentar com estas coisas do mato, que minha familia sempre consumiu e consomem até hoje, pois lá é alto o uso de todas estas folhagens, como folha da batata doce, Almeirão, capeba,broto de bambu, umbigo de banana, Oro-pro-nobis, taioba, Almeirão, mostarda, broto de samambaia, folha da mandioca, casca da banana verde e outras que me fogem das lembranças. Ainda hoje quando vou por lá, exijo comer somente as coisas que não vejo por aqui. Viro lagarta,kkk.Claro que tudo isto sempre acompanhado de uma carne de porco ou torresmo,rsrs.
    Boa semana amiga.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá, Tonin!
    A roça de meu avô era na divisa com Minas. Foi lá que aprendi essas alquimias apaixonantes. Alimentos densos em nutrientes que nos faziam fortes!
    Tenho um olho clínico para esses matos... Avisto de longe e já corro atrás.
    A carne de porco caipira é gordura rica em ômega 3, proteína boa.
    Esses matos, refogados em banha, dão "sustança" - não precisa comer a cada 3 horas, não!

    Uma semana tranquila procê também

    ResponderExcluir

Desativado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.