12.5.16

"Farra" da insulina

Resultado de imagem para mesa low carb tradicional
Com as orientações alimentares atuais, mesmo através do nosso qualitativo "Guia Alimentar", ainda deixamos a farra da insulina correr solta devido ao excessivo consumo de carboidratos.
O maior problema do Guia é ele ainda temer a gordura boa e o sal de qualidade, sendo que os farináceos vilões estão à solta por lá, com pouco controle.
Quando digo que ingerimos (mas não digerimos) um pouquinho de açúcar até mesmo no talo da salsinha, pode parecer exagero, entretanto a celulose está lá.
***O carboidrato celulose não é digerido por nosso intestino onívoro, então compõe o bolo fecal. Para isso, necessita de gordura para lubrificar e escorregar, não travando.
São essas ingestões despercebidas que vão se acumulando a outras mais explícitas como os farináceos, e criam uma bomba de insulina no nosso metabolismo.
O pico insulínico após uma digestão com excesso de carbos, automaticamente acarretará uma queda drástica, e posterior sensação de fome.
Por esse motivo, os "carbo dependentes" precisam comer a cada 3 horas, e assim o ciclo vicioso se reinicia, levando com o tempo à síndrome metabólica em muitos casos.  
Basta observar o abdome de indivíduos acima de 50 anos e constatar a alimentação errônea , inclusive orientada por nutricionistas tradicionais.
A Comunidade Low Carb / High Fat se sente muito bem com duas refeições naturais, saudáveis e saciantes, sem a necessidade de lanchinhos intermediários.
As fibras da salada crua e vegetais de baixo amido cozidos, aliada à gordura boa e proteína animal, oferecerão saciedade e boa disposição por muito mais tempo.
São vitaminas e sais minerais nos nutrindo e fortalecendo, sem a contaminação excessiva de conservantes e tantos outros "antes" adicionados pela indústria.
Resultado de imagem para mesa low carb tradicional