11.6.16

Casca de banana

Benefícios da casca de banana
Imagem daqui
É sabido que na casca dos vegetais estão as maiores fontes de vitaminas e minerais, além das fibras. Outra grande vantagem é que a casca não possui tanto açúcar como o fruto.
Basta criatividade para comer bem de um jeito simples, aumentando a densidade nutricional dos pratos sem precisar investir em ingredientes caros ou tempo extra de preparação.
A biomassa de casca da banana contém luteína - antioxidante capaz de proteger os olhos contra a exposição ultravioleta. 
Ela não influi no sabor dos pratos, apenas acrescenta uma coloração castanha devido à sua nódoa natural. Em carnes, serve de "molho madeira" e em aves - "molho pardo" alternativo.
Sua explosão de fibras regula os níveis de açúcar no sangue, contribuindo para a diminuição do colesterol "ruim" (LDL) e ajuda ao funcionamento intestinal.
O bom funcionamento intestinal auxilia na prevenção de várias doenças. Minerais encontrados na casca da banana: magnésio, fósforo, ferro e cálcio. Uma biomassa grátis, alto valor nutritivo.
A casca de banana possui o dobro de potássio ( 0,9 g) em relação ao encontrado na polpa da fruta. A carência de potássio causa fraqueza, desorientação mental e fadiga muscular.
Quando aumentei meu jejum intermitente para 24 horas ou mais, tinha cãibras de madrugada. Colocando a casca de banana no suco verde toda manhã, nunca mais senti o problema.
Basta usar as bananas (prata) ainda verdolengas. Higienize, pique e congele as cascas ao longo da semana. Quando tiver um saquinho cheio, cozinhe em pressão por 10 minutos (de pressão) e liquidifique com a própria água do cozimento.
Deixe escorrer o excesso de água e use a biomassa em pães, outras massas, molho de carnes, sopas, caldo do feijão, arroz. Pode congelar em copos descartáveis e usar durante a semana.
Na versatilidade da carne moída, 20% da biomassa enriquecerá o hamburguer, almôndega, rocambole, e "massa" alternativa de pizza low carb.
A quantidade de fibras presente na casca ajuda a reduzir a velocidade com que a glicose do prato é liberada na corrente sanguínea, evitando picos de insulina. 
Assim, a biomassa de casca de banana aumenta a sensação de saciedade, aumenta o tempo de fome pós - refeição e o risco de acumular gordura localizada.
A biomassa de casca de maracujá segue o mesmo esquema, resultando numa massa lisa, clarinha, quase sem sabor - apenas com um leve amarguinho. A vantagem adicional é que não escurece as massas.

Hoje fiz um bolo de fubá com 10 cascas de banana prata (congeladas), duas xícaras e meia de fubá, uma de farinha, uma de açúcar mascavo, 3 ovos, uma bandeja de frutas cristalizadas e um colherão de banha. Água para liquidificar as cascas (com ovos).
Não foi biomassa - usei as cascas cruas. Ficou castanho, com gosto de fubá e o toque das frutinhas; muito bom! 
Não é Slow Carb, porém vale para o final de semana da família. Nesta gelada época junina, a vontade de um bolo de fubá é mais forte!
Obs.: Deve ser consumido morno com chá, café puro ou com leite, para otimizar o sabor.
Pesquise aqui.