5.6.16

Gangorra entre grelina e leptina

Resultado de imagem para imagem prato cetogenico
A grelina é o hormônio do apetite que o estômago libera quando estamos com fome. Nos alimentamos, e a leptina - hormônio saciedade, leva a mensagem ao cérebro de que "já chega". 
Geralmente em obesos, a gangorra é desequilibrada - a grelina fica sempre em alta e a leptina também em alta. Resultado - fome a cada duas horas (no máximo).
Como assim? Obesos produzem mais leptina por ela ser constituída no tecido adiposo, e mesmo assim vivem com fome?
É o mesmo processo dos diabéticos (tipo II). Há uma resistência à leptina e a mensagem de saciedade não chega ao hipotálamo.
A obesidade é doença tanto quanto a diabetes. Doença de distúrbio hormonal (insulina) de particionamento energético "enguiçado". Se o tecido adiposo diminui, o problema se reverte.
Obesidade é uma doença de particionamento energético - executado pela insulina - ela decide para onde levar as calorias: se armazena "em gordura" ou se libera "em energia" a ser usada. 
A alimentação slow carb, rica em cromo, reverte paulatinamente o quadro. Porém para reversão mais rápida, algumas semanas na dieta cetogênica - very low carb, é fundamental. 
Os "produtos alimentícios" ultra processados, cheios de carbos refinados e gorduras trans, saem do cardápio. Entra a água de hora em hora entre as refeições - quando se come, NADA se bebe!
Outro hormônio, o GLP-1 (victoza) é liberado através da mastigação para ajudar na mensagem de saciedade. Devemos mastigar o alimento por 20 minutos para que ele tenha tempo de trabalhar.
Atividade física moderada auxilia no processo, contudo a atividade muito intensa vai disparar a grelina - hormônio que pede mais comida. Deve haver equilíbrio.
O gordo não é preguiço e guloso. Não é!