2.7.16

Aparecida do Norte - a odisseia


Resultado de imagem para imagem basilica de aparecida
Sabe que nem levei máquina fotográfica nessa nova viagem a Aparecida? Fotos da última viagem, aquiaquiaqui e várias outras postagens.
Naquela época, eu estava inspirada para fotografar, era verão! Desta vez queria apenas respirar, fruir a viagem e papear com a vizinha a meu lado... 
No inverno, com dias curtos, bancar 3 empregos (casa e família, sala de aula e oficina), aliados aos meus 51 anos me fica meio cansativo.
O passeio em 10 veículos ( 4 caminhonetes, 5 trollers e 1 willis) foi leeeento... O povo estaciona de hora em hora - prá fotografar, comer, sanitário, matar a sede, conversar, comprar à beira da estradinha.
Saímos 6 h 30 e chegamos ao destino 18 h 00 - todo o dia sacolejando na Triton - e na ida usamos estrada asfaltada, por Minas Gerais.
Corremos à missa, que ocorreu numa capela da Basília, não havia muitos fiéis. À noite, o templo é impressionante, e quase vazio fica ainda mais faraônico.
As luzes noturnas amareladas e a devoção das pessoas em uníssono, emanam uma energia tão forte que é impossível não se emocionar. Todo local em que pessoas se aglomeram para orar em conformidade possuem uma transcendência quase palpável.
O hotel, caro e razoavelzinho. Nem saímos à noite para comer com a turma, dormimos cedo - canceira - eu estava acordade desde 3 h da manhã. 
Às 6 h 30 o café já é servido - ovos mexidos à vontade fizeram a festa de meu Par! Frutas e um pãozinho frances, que ninguém é de ferro.
Uma cafeteira tripla com café sem açúcar, água fervente e café adoçado foi meu "brinquedinho": Fiz chá, misturei água fervendo ao leite (é assim que gosto) e temperei o café amargo com um pouquinho do adoçado.
A manhã foi proveitosa: usamos a famosa passarela para visitar a restaurada e maravilhosa igreja antiga. Pessoas percorrem de joelhos, inclusive adolescentes... Fico a imaginar o que el@ passou e a graça alcançada.
Depois, subimos de bondinho ao morro do cruzeiro e curtimos a torre de observação. Voltando à Basílica, enquanto os vizinhos foram à missa, visitamos a Casa dos Milagres no subsolo e subimos a torre panorâmica, visitando também o museu
A sala de ouro é fenomenal: uma pequena cúpula toda encoberta de joias doadas pelos devotos ao longo das décadas. Anéis de todo tipo, correntes, pulseiras... pedraria em todo espectro de cor! 
A fixação das peças forma um bordado. As rosas de ouro doadas pelos Papas Paulo VI e Bento XVI e a Coroa do Centenário também estão expostas.
Preços - bondinho e torre panorâmica = R$ 28,00 / torre da Basílica e museu = 6,00. A sala dos milagres e sanitários é gratuito. O resto, fica p/ próxima - tempo curto.