31.5.16

Alimentos sem "alma"

Resultado de imagem para imagem hortifruti
Os produtos alimentícios ultraprocessados perderam a alma e ganharam aditivos com nomes impronunciáveis terminados em "ante".
Quem estuda o nosso Guia Alimentar, sabe o quanto esses "alimentos" devem ser evitados. Devemos utilizá-los como um tempero ocasional, para finalizar um prato. Nunca devemos "encher barriga" com essas coisas.
Dentre produtos que lembram vagamente a carne, temos salsicha, presunto e apresuntado, peito de peru, mortadela, steak e mini chicken de frango, certos salames, hambúrguer...
São fáceis de se preparar e comer, pois resultam de uma série de processos industriais danosos, que esvaziam os nutrientes. Muitos são cheios de amido, como a salsicha, steak, apresuntado.
A hiperpalatabilidade, fenômeno que acrescenta o "sabor perfeito" - chamado "ponto da felicidade", faz com que aquilo fique viciante. Excesso de sal, açúcar, gorduras artificiais e químicas, contribuem para essa explosão de fedor "sabor".
Consumidores assíduos desses produtos ficam com o paladar deformado, rejeitando alimentos com sabores naturais mais suaves, que lhes parecem insossos.
Dislipidemia (aterosclerose), diabetes, pressão alta, obesidade, alergias, doenças autoimunes e intestinais são muitas das consequências do consumo de ultraprocessados em excesso.
São refrigerantes e sucos de caixinha, salgadinhos "isopor", massas congeladas, açúcar refinado, macarrão instantâneo, leite em pó, tempero de cubos, bolachas todas e pão integral, mistura para bolo, barrinha de cereal, sorvete, margarina, óleos de soja, canola, enfim.
Uma bala de canela não tem nenhum nutriente rico da canela, apenas o sabor artificial e muito açúcar. Uma tapeação deslavada. 
Embalagens coloridas, com fotos ampliadas e frases apelativas tomam conta das prateleiras do mercado. A grande maioria dos produtos lá expostos são ultraprocessados - quase prontos para comer.
Cozinhe em casa! Arroz com feijão ou raízes, carnes e vísceras variadas, ovos, legumes cozidos e vegetais crus devem compor nosso prato. 
Na sobremesa - frutas da estação. Lanches: queijos artesanais, oleaginosas, amendoim, coco, pinhão, batata-doce, espiga de milho. Para beber - NADA... Apenas água entre as refeições, chá e café.

30.5.16

Bomba imunológica?

Resultado de imagem para imagem imunidade
Nesta época invernosa sempre estamos às voltas com um resfriado. Como amenizar o quadro com produtos naturais?
Não há super alimentos, contudo uma alimentação o menos industrializada possível e os temperos corretos fazem pequenos milagres.
Além do kefir em jejum, é claro, temos aí o mel artesanal (sem pasteurização), a canela em pó de boa qualidade e a cúrcuma (uso kitano).
Coloco num potinho de sobremesa uma colher das de chá com mel, outra com canela em pó e uma pitada de cúrcuma.
Misturo muito bem e degusto de sobremesa, ao menos duas vezes na semana. Alimento funcional delicioso, que reduz o impacto glicêmico ou "frutosêmico" do mel!!!

A cúrcuma vai bem com legumes, sopas, carnes, omelete. Coloque só uma pitada, pois é forte. 
Um pau de canela, lâminas de gengibre, cascas de laranja / mexerica, ervas ou gotas de limão na água, saborizam e energizam o organismo.

Ah, evite aquecer o mel, tipo adoçar chás - os micro-organismos tão benéficos irão morrer... Em geladeira eles ficam dormentes.

Colesterol

Resultado de imagem para imagem partículas de LDL
Como saber se o colesterol está mesmo preocupante? Sempre faça o exame fracionado - HDL, LDL (IDL) E VLDL. E complemente com o exame de triglicérides.
Não podemos nos guiar apenas por aquele número "200" que consta dos exames. Uma pessoa de um metro e meio não pode ter os mesmos "200" de outra com dois metros...
O triglicérides deve estar abaixo de 150; isso por si só já é um indicador de que o HDL (colesterol "bonzinho") estará ótimo. Os dois vivem em gangora, um sobe, outro desce.
O valor de  HDL deve ser dividido pelo valor do colesterol total e o resultado deve ser de no máximo 4,5.
Exemplo: Meu Par está com 246 de colesterol total. Seu HDL está em 76; então, ao dividir um pelo outro, encontra-se 3,24 - excelente!

E não nos esqueçamos que LDL pode conter "gotas" grandes ou pequenas. Um LDL com gotinhas miúdas é perigoso. Pena que o exame não é tão disponível...
Havendo gotas grandes de LDL (IDL), é menos aterogênico, pois fluirá pelas artérias sem aglutinar umas nas outras e não se enrosca nas paredes arteriais.
Junk Food gera partículas miúdas, ao passo que alimentação natural de baixo amido e açúcares, aumenta o tamanho (qualidade) das gotas.

Ah, e mais importante que isso tudo é a glicemia, que deve ficar abaixo de 100 em jejum. Não esquecendo a pressão arterial de 12 X 8 e a circunferência abdominal.
Açúcar em suas diversas formas (glicemia) leva ao hormônio insulina que leva ao dano oxidativo (radicais livres) e puxa a inflamação.
Estresse emocional, estresse físico, alimentos ultra processados, metais pesados, fumo e álcool, medicamentos, poluentes e toxinas ambientais somam-se ao açúcar.

29.5.16

Ecogastronomia / recolecção de PANCs


Resultado de imagem para PANCs

Eu adoro as PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionais). Fui criada no mato e as consumo desde sempre - para mim, são convencionais sim!
Tenho beldroega graúda, azedinha e trapoeraba em vasos no quintal, uso no suco verde, omelete e enfeito saladas.
Compro serralha na feira sempre que encontro, assim como cambuquira (broto de abóbora).
Faço recolecção por aí de "erva de fazendeiro", "picão", "almeirão de barranco", beldroega miúda. Do caruru, uso o talo feito brócolis.
A ecogastronomia não é só isso: aproveita-se cascas, talos em preparações diversas. Eu sempre uso casca de citros, pepino, chuchu, alho e cebola no suco verde (meu suco é salgado - com algumas pedrinhas de sal grosso).
Meu suco verde é coado em peneira grossa, para manter um pouco das fibras. O que sobra, vira adubo de meus vasos.
Ah, não esqueça de engordurar levemente o suco com abacate ou semente de girassol, para não perder as vitaminas lipossolúveis!
Faço chás de canela com as mesmas cascas, água do cozimento da batata-doce ou do pinhão, ervas frescas - tenho melissa, alfavaca,  goiabeira e limoeiro em vasos para aproveitar as folhas.
Gasto muita banana prata verdolenga - duas dúzias por semana. Higienizo as cascas, coloco alguma no suco verde, outras pico e congelo.
Faço biomassa de casca de banana, cozinhando-as na pressão por 10 minutos e liquidificando com cúrcuma ( para clarear um pouquinho - ela contém nódoa escura).
Uso ao menos meia dúzia de maracujás roxos por semana e não desperdiço aquelas cascas maravilhosas. Também vão para a pressão, raspo a parte interna, liquidifico e tenho uma biomassa clarinha, cremosa e levemente amarguinha.
Congelo as biomassas em copos descartáveis, etiquetadas.
As duas biomassas vão para pães; sopas de carne com legumes e talos; carnes refogadas - engrossa o caldo; almôndegas / hambúrgueres; panquecas e qualquer outra massa, mesmo doce.
No feriado de quinta-feira, fiz um frango caipira com biomassa de casca de banana - Ficou um "molho pardo" alternativo e muito saboroso, pois essa biomassa riquíssima em fibras quase não tem sabor e aderiu perfeitamente, engrossando o caldinho.
Hoje fiz hambúrguer assado com biomassa de casca de maracujá e temperos, pois a de banana solta água. Delicioso e rico! 
Também tenho pães congelados (fiz 5, um para cada semana). Usei as duas biomassas e mandioca amassada. Fica divino num sanduíche aberto com ovo caipira estrelado.
A biomassa de maracujá serve de base para sorbet; basta acrescentar qualquer fruta - ou o próprio maracujá. 
Ah, e já começou a nova safra de maracujá roxo! É muito importante escolhermos os produtos da estação - mais baratos, frescos e colhidos no tempo de maturação. Tem a ver com o movimento "Slow Food".

27.5.16

Marcadores de saúde

Meu Par completou 8 meses na alimentação de baixo carboidrato. Será que os números nos exames melhoraram?
O foco em vegatais de baixo amido: folhosos e não folhosos, seguido de gorduras e proteínas naturais: carnes e vísceras todas (com pele), ovos, queijo artesanal, kefir, abacate, amendoim, azeitona, nacos de coco, semente de gergelim com girassol. Banha de porco e margarina para cozinhar (pontinha de faca).
Frutas de baixo glicídio: limão na água, laranja, maracujá roxo (para comer), goiaba, carambola, kiwi. 
Com moderação, banana prata (verdolenga), milho na espiga, pinhão, mandioca, baroa.
Suplementos naturais - magnésio, cúrcuma e canela.
Para beber: café sem açúcar, vinho tinto seco (uvas cabernet salvignon - Casa Geraldo) e alguma cerveja - saindo da linha.
Eis os resultados do exame de hoje:

Colesterol 
corria na casa dos 380  + ou -
Hoje - 246 
HDL - 76 = desejável + que 60
LDL (+ IDL) - 149 = limítrofe até 159 (OK)
VLDL - 21 = desejável menor que 40
Depois que passou a ingerir mais gordura natural (livre de óleos industrializados, margarina, alimentos industrializados com gorduras trans), os marcadores de gordura DESCERAM...
Triglicérides
Ficava entre 500 e 750
Hoje - 107
Nos últimos 15 anos, jamais ele teve um resultado assim (nem quando usou estatinas e quase morreu com fibromialgia).
O açúcar em suas variadas formas aumenta a gordura TRIGLICÉRIDES. Inflama e corrói as artérias.
O colesterol se apresenta "na cena do crime" para cimentar o estrago - não foi ele que as danificou. É o mesmo que culpar o encanador pelo cano entupido. Culpemos o açúcar e a gordura industrializada.
Glicose - aqui morava o perigo!
Estava em 167 no  exame de agosto passado, com risco de injetar insulina.
Hoje - 90 (ele mede quase diariamente em casa e raramente passa de 100).

Seu peso, nesses 8 meses, desceu de 84 para 72 kg!!!
O abdome globoso (gordura visceral) declinou 70%, pois o peso estava quase todo na barriga distendida.
A pressão arterial, medida toda manhã, raramente fica acima de 12 X 8. O remédioé usado só quando se mostra ligeiramente alterada.

Exercícios físicos: Ele trabalha pesado a semana toda em sua oficina; porém, só pedala aos domingos - 20 km.
Eu sigo o 
E ainda há nutricionistas "Low Carb" tendo que se explicar nos respectivos Conselhos Regionais. A nutrição atual é que deve se explicar pelas determinações sem embasamento científico. "Uma zona livre de evidências e de lógica".

25.5.16

Gordura ajuda a emagrecer?

Este vídeo da Globo News reitera o que nós, a "Comunidade Slow Carb", estamos "carecas" de saber.
Gorduras não industrializadas são menos más que açúcar em suas variadas formas. Veja!

21.5.16

Na medicina, também há Low Carb


How NOT to write a diet book
Um de nossos maiores expoentes em diet Low Carb na área médica, sem dúvida é o Dr. Souto. Lá fora, temos grandes nomes como: Theodore Naiman, Rakesh “Rocky” Patel, Jeff Gerber, Jason Fung (de Toronto), David Ludwig, William Davis, Sarah Hallberg, Michael Eades, Aseem Malhotra, Malcolm Kendrick, Andreas Eenfeldt (da Suécia), Georgia Ede, David Perlmutter, Tim Noakes ( áfrica do Sul), Stephen Phinney, Eric Westman, Jeff Volek, Franziska Spritzler, Miriam Kalamian, Beth Zupec-Kania, dentre outros.
O Dr. Jason Fung é uma sumidade em Jejum Intermitente para tratar obesidade, processos inflamatórios crônicos (aterosclerose) e diabetes tipo II, prevenindo demência e câncer através dessa técnica milenar. 
Nesse vídeo legendado pelo Rodrigo, ele detalha a terapia milenar tão simples, grátis e econômica. Basta uma mentalização prévia, rotina e foco.
A melhor forma de estudar o jejum a longo prazo, é através dos religiosos; veja aqui. E também leia aquiaqui; aqui . 
Não conte à indústria alimentícia - ela deseja que você se alimente 6 vezes ao dia... E não conte à indústria farmacêutica, ela fará tudo para não perder o cliente vitalício!
Não haverá fome se a alimentação habitual for low carb e a pessoa fizer progressão lenta e gradual, pulando uma, depois duas, até atingir todas as refeições do dia após meses. 
O organismo se alimentará da gordura acumulada; teremos leveza, disposição, serenidade! Basta ingerir água em abundância.
Após uma feijoada ou comendo bem pouquinho por dias, estaremos sem energia. No jejum intermitente é o oposto - parecemos aqueles leões que estão a uma semana jejuando, perseguindo a presa a todo vapor.
Por ser milenar, se causasse problemas físicos ou emocionais em pessoas saudáveis, haveria registros na literatura religiosa e médica sobre. 
Por ser intermitente, não deixa o metabolismo mais lento, como em dietas de fome; sendo dentro de uma alimentação low carb (saudável) não causa baixa de nutrientes.
A demência surge devido ao lixo cerebral "engastalhado". O jejum depura e faz células cancerosas "morrerem de fome". 
A insulina sempre alta estimula o "fator de crescimento insulínico" que faz as células ruins reproduzirem-se. A insulina é uma "velha avarenta" que armazena gordura gulosamente, deixando-nos obesos.
Diferente do "fator de crescimento insulínico", o hormônio do crescimento é liberado naturalmente em jejuns mais longos, trazendo rejuvenescimento. Esse hormônio, quando sintético, traz efeitos colaterais. 
O efeito anti envelhecimento do hormônio do crescimento natural aumenta a densidade óssea e evita perda muscular. Aumenta os músculos, mesmo sem exercícios.
Jejum é faxina, organiza o organismo "quebrado", revertendo resistência insulínica. Na autofagia desencadeada pelo jejum, a célula consome suas partes velhas e podres, dando lugar à renovação.
Jesus Cristo jejuou por 40 dias e noites em meditação no deserto, prática comum em sua época e religião (no Islã, jejua-se apenas no período diurno). 
Naqueles tempos, assim como em povos isolados, medicina e religião se confundem. Os indígenas brasileiros também praticam o jejum para diversos fins, de acordo com cada etnia.

* Pessoas com histórico de problemas hormonais ou distúrbios alimentares (ou propensas a tal) devem evitar qualquer tipo de variação na dieta básica. O jejum é indicado a pessoas saudáveis e em equilíbrio, preferencialmente com supervisão médica.
Freiras e monges idosos, que tiveram uma vida de jejuns, são magros, saudáveis, serenos e longevos.

Ignorei, descumpri e contrariei ordens médicas... Ainda bem!

Resultado de imagem para imagem low carb
Em agosto passado, quando meu Par chegou ao ponto de ser considerado diabético - 167 de glicemia em jejum, eu surtei e a coisa aconteceu. Marido se transformou em Low Carb!
Tem sido um processo leve, natural. Ele ainda escapa com a cerveja ao fim do dia, porém não todos os dias.
A tempos, o peso desceu de 84 para 73 kg e se estabilizou; visível no abdome reduzido. Pressão arterial raramente passa de 12 x 8. 
A glicemia em jejum, medida quase diariamente, também se mantém por volta de 100. Todo seu processo inflamatório e dores difusas rarearam. Apenas a gota ainda volta quando muda a temperatura.
Seu desjejum consiste em kefir logo ao acordar; depois um ovo, pedaço de queijo branco, fatia de abacate, uma banana prata pequena e verdolenga com uma colher de gergelim (temperado com sementes de girassol e abóbora), com outra fruta picadinha.
O almoço consiste numa saladona crua com carne, legumes gratinados ou sopa de legumes com queijo. Uma laranja (ou mexerica) de sobremesa.
O jantar é mais variado: carboidratos de lenta absorção - pinhões, ou mandioca gratinada ao queijo, ou milho cozido, ou baroa. Omelete ou salame. Amendoim torrado ou nacos de coco. Maracujá ou outra fruta de baixo índice glicêmico (e a lata).
Se tivesse mantido arroz integral, pão integral ultra processado, alimentos light (de baixa gordura), ele morreria de fome a cada três horas e a glicemia estaria a 1000... ´
Basta comer todo tipo de carne, vísceras, queijos e ovos o mais natural possível, assim como vegetais de baixo amido em abundância, frutas de baixo glicídio e oleaginosas + amendoim. Água com limão, café e chá sem adoçar.

Pare com isso já!!!

Resultado de imagem para compra de mercado low carb
Você apresenta abdome globoso (gordura visceral), pressão arterial e glicemia alteradas, triglicerídeos às alturas e processos inflamatórios crônicos (doenças com sufixo "ITE")?
Então, diante de tal drasticidade,  o colesterol acaba ficando em segundo plano, e não em primeiríssimo, como os médicos tradicionais enfocam.
Quando eles vierem com aquela conversinha de alimentos com grãos integrais, porçõezinhas de amido, responda enfaticamente:

_ Parem de me recomendar alimentos que elevam o açúcar no sangue (carboidratos "burros" - de rápida absorção, produtos diet - de baixa gordura e cheios de açúcar)!!! 
_ Parem de me assustar sobre alimentos naturais que fazem exatamente o oposto - baixam esse açúcar todo ( manteiga, ovo, carne vermelha, banha de porco, abacate, polpa fresca de coco, oleaginosas, amendoim, frango com pele).

Ser autodidata, pesquisar muito, pensar pelo seu próprio cérebro, saber argumentar e fazer escolhas, levam à reversão rápida de um quadro considerado progressivo.
O DR.Tim Noakes vem causando uma pequena revolução na África do Sul por estar na vanguarda desse processo todo. Ele dissemina a filolofia LCHF (baixo carboidrato x alta gordura) entre os sul africanos.
Por desafiar paradigmas, ele sofre represálias devido à sua dieta ainda não ser totalmente comprovada pela ciêcia, apesar de salvar inúmeras vidas na prática.
Seus opositores não consideram que a dieta-padrão MATA pessoas na prática, com aumento exponencial na obesidade e suas doenças crônicas, incluindo diabetes tipo 2, câncer, doenças cardíacas, osteoporose e distúrbios de saúde mental.

Há comprovação científica de que gordura saturada pode aumentar colesterol, porém metade dos infartados possuem colesterol normal ou baixo.
Fica claro que o "matador" é o processo inflamatório crônico ocasionado sobretudo pelo excesso de açúcares na dieta, alimentos ultraprocessados e gorduras trans (artificiais  - margarina, óleo de soja, canola e outros).
O colesterol é como um bombeiro apagando incêndio: por estar sempre na cena do crime, seria acusado de provocá-lo. Na verdade, está lá "cimentando" a lesão.
Mesmo o LDL - o colesterol considerado "mau", numa alimentação LCHF passa a ter "gotas" maiores (mais robustas) e torna-se benéfico, pois "gotonas" não se enroscam em nossas artérias.
A natural filosofia alimentar LCHesbarra na grande indústria alimentícia e na grande indústria farmacêutica, o que é um perigo de "nova inquisição" para seus cientistas!

14.5.16

Obesidade e emagrecimento

Resultado de imagem para imagem obesidade e emagrecimento
A ciência investiga os vieses que nosso organismo utiliza para sabotar a manutenção do peso ideal a longo prazo, usando mecanismos de aumento do apetite e diminuição do gasto energético.
Todo ser inteligente quer ficar rico, fazer uma caderneta de poupança, investir em bens, ações. Nosso organismo não é diferente e a genética tem um peso (gene FTO e outros). 
Esse cérebro pré-histórico foca em reservar para tempos difíceis, daí a gordura visceral, sobretudo na meia idade. Ao emagrecer, estaremos lutando contra a "vontade do corpo" de "enriquecer".
A propensão para recuperar o peso deriva das alterações metabólicas causadas pela própria perda, essa perda sustentável requer deslocamento do "set point" para baixo.
Nossa massa gorda é controlada inconscientemente a nível cerebral, no hipotálamo. Com ajuda da leptina, o cérebro sinaliza quanto "ele julga" que devemos pesar! 
Quando insistimos em contrariar o cérebro, baixando demais o peso, ele fica "de mal conosco" e responde com ondas de fome, às quais temos que driblar para não ceder.
O consumo de "cosméticos" fórmulas para emagrecimento, "estraga" o metabolismo, pois interfere com os nutrientes essenciais. Não fazer nada estúpido é o primeiro passo para driblar a tentativa corporal de reposição lipídica.
Fundamental um bom senso no que diz respeito ao peso ideal, evitando transformar o emagrecimento num "esporte competitivo".
A prática de esportes deve estar anexada à saúde geral e não à baixa de peso, pois usada erroneamente, levará a maior apetite após exercícios (e ninguém se mantém magro muito tempo com fome constante).
Contrariando toda nossa evolução humana, a abundância (e não a privação) atual de alimentos calóricos tem sido o problema. O cérebro pensa que ganhou na loteria...
Quando mantemos um grande excedente de peso durante muito tempo, o cérebro  "adota" um certo sobrepeso como o novo equilíbrio. Ele "grava" esse mapa, e mudá-lo requer persistência.
Quanto mais tempo permanecermos acima do peso, mais difícil baixar para o peso ideal. Daí a importância de não sair do peso desde a infância.
Torna-se uma luta para toda a vida voltar ao peso ideal, ingerindo progressivamente porcentagens menores de calorias para manter o mesmo peso.
Compreender todo o processo é importante para aceitar-se, não sentir culpa, driblar a fome com alimentos "corretos", escolher os exercícios ponderados incluindo musculação e focar na consistência.
Proteínas auxiliam na queima de calorias, na preservação de músculos e impõem saciedade. Ao emagrecer, eliminamos gorduras e músculos. 
Quanto mais músculos perdermos, mais o metabolismo desacelera e a taxa de perda de peso diminui. Aconselha-se uma média de 20% da dieta em proteínas.
A equipe de Kevin Hall , numa abordagem hormonal da obesidade, faz estudos que contrariam a hipótese insulínica e a vantagem metabólica das dietas cetogênicas (embora ele afirme que em cetose o metabolismo não desacelera).
Dr. Jason fung do Canadá, afirma reverter essa equação toda com jejuns intermitentes de no máximo 4 dias. O metabolismo basal aumenta em 13%.
O metabolismo passa a queimar a gordura visceral nesse meio tempo, como um alimento congelado no freezer. Para tal, "destranca-se o freezer", baixando os níveis de insulina com jejum.

Cuidar dos intestinos para aliviar a asma?

Resultado de imagem para imagem microbiota intestinal
Estudos (veja aqui) estão sendo efetuados para comprovação de que a deficiência das bactérias Faecalibacterium, Lachnospira, Veillonella e Rothia na microbiota intestinal podem levar a quadros de asma em crianças.
Em contrapartida, um transplante de fezes contendo cepas dessas bactérias, poderia contribuir para ameniza quadros asmáticos já instalados.
Caso os estudos sejam promissores, inúmeras pessoas poderão ser beneficiadas com medidas simples, econômicas e pouco invasivas.

13.5.16

Cura para a síndrome metabólica

Uma grande indústria farmacêutica encontrou a cura milagrosa para reverter progressivamente a síndrome metabólica.
O fármaco miraculoso, a ser ingerido todo dia ao almoço, é esse abaixo, dificílimo de se conseguir. Efeito colateral: É altamente viciante - tarja preta.
Ah, e um outro efeito colateral é a barriga sarrada, no sentido real e estético!
  

Resultado de imagem para imagem prato de  salada com carneResultado de imagem para imagem prato de  salada com carne
Resultado de imagem para imagem prato de  salada com carne


Resultado de imagem para imagem prato de  salada com carne


Resultado de imagem para imagem prato de  salada com carne



Resultado de imagem para imagem prato de  salada com carne

Resultado de imagem para imagem prato de  salada com carne

Imagens pescadas da Net