8.5.17

Nutrição e evidências científicas

Low Carb - Concepção e Evidências Científicas

Ainda há pessoas que torcem o nariz ao falarmos sobre restrição de carboidrato refinado, jejum intermitente (+ ou - 24 horas sem comer), jejum matinal (pular o café da manhã), jejum estendido (em torno de 3 dias sem comer), dieta do guerreiro (fazer apenas o jantar)...
Neste final de semana, o primeiro evento institucional de peso sobre Low Carb no Brasil ocorreu na renomada Univiçosa.
A nutrição "Low Carb - Healthy Fat" (baixo carboidrato e gorduras saudáveis) desbrava as veredas de Minas Gerais, trazendo a vanguarda da alimentação de perspectiva evolucionária alicerçada inclusive por metanálises de ensaios clínicos randomizados (o mais alto grau de evidência científica).
Que mal há na Low Carb? Qual o motivo de tanto rancor? 
Ela preconiza pratos repletos de vegetais não amiláceos, oleaginosas, frutas menos doces, proteínas saudáveis e naturais com sua gordura de origem.
Produtos refinados pela indústria - farináceos, óleos e gorduras hidrogenadas, produtos cárneos embutidos, comida congelada ou pronta (de pacotinho) são reservados a indulgências ocasionais.
Pessoas com síndrome metabólica / diabetes II são especialmente beneficiadas com esta filosofia alimentar, embora a maioria dos profissionais de nutrição ainda não a conheçam (senão de nome)...
Eu mesma, por gozar de boa saúde, sigo a "Slow Carb": com tubérculos à vontade, sem restrição de frutas, leguminosas preparadas após demolho ácido (água com vinagre) e jejuns variados.