21.6.14

Gravatá

De vez em quando, encontro algumas pérolas negras na feira livre. Nesta semana, o feirante Nei trouxe um cacho de gravatá madurinho!
Não é difícil encontrar a planta nos pedregais aqui da região, difícil é ter a sorte de chegar quando os frutos estão no ponto.
Olhando bem, vê-se que o gravatá é uma bromélia prima do ananás (abacaxi). A diferença é que no gravatá os frutos são individuais no cacho, e no ananás houve uma aglomeração num único frutão.

O Nei me doou (não quis cobrar) alguns frutinhos; ele vende para preparo de xarope. Com a chegada do inverno, o frutinho exótico é muito procurado.

 

Individualmente, se parece com a nêspera, contudo não tem nada a ver. É doce, com as fibras do abacaxi; as sementes se parecem um pouco com maracujá. O sabor não é tão marcante quanto do ananás, porém se não estiver bem maduro, fica marrento do mesmo jeito ("amarra a boca; pinica"). 

Me arrependi tanto por não comprar o cacho inteiro... nem sei se terei nova oportunidade. É nesta época de outono/inverno que encontramos os frutos bons, todavia a passarada não dá trégua.

9 comentários:

  1. Nunca experimentei essa fruta. Parece uma nespera mesmo! beijos,lindo fds! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Chiquinha!
      Frutas silvestres não frutificam sempre; é necessário acompanhá-las de perto para colher a tempo. Gravatá é docinho, porém não se solta do cacho com facilidade.

      Um maravilhoso domingo, e beijoquitas também a ti.

      Excluir
  2. Olha só, eu não conhecia este fruto, quer dizer, ainda não o vi pessoalmente! Este nome "Gravatá" eu só conhecia como uma cidade, não pensava que existia um fruto com este nome. E ele é docinho?
    Nem consigo imaginar o sabor, mas pela cara do mesmo, lembra um maracujá e eu adoro suco de maracujá.
    Como é bom morar no interior né?
    beijos cariocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alfazema!
      Gravatá é docinho, assim no ponto; se comermos antes, é feito abacaxi verde. Tem o sabor mais suave que abacaxi, porém são parentes. O cacho é feito um abacaxizão desaglutinado.
      A vida interiorana é simplezinha, porém tem suas vantagens.

      Um beijão roceiro procê também.

      Excluir
  3. ~ Vivendo e aprendendo, neste caso, conhecendo.

    ~ A nossa fruta é muitas vezes apanhada precocemente, por causa dos pássaros.

    ~ Este ano, a fruta da Primavera-- cerejas, ameixas, pêssegos e morangos, apareceram sem nenhuma graça, deslavados. Só se salvaram os damascos.
    ~ Esta fruta do supermercado é um deconsolo, não há como comer a fruta debaixo da árvore.

    ~ ~ ~ ~ Beijos amigos. ~ ~ ~ ~

    ResponderExcluir
  4. Olá, Majo!
    Aqui no interior há muita fruteira à beira de estradas rurais, sobretudo o abacate, que dura meses. A passarada também faz a festa.
    Cereja, temos uma variedade não comercial, mas é rara nos pomares; as nêsperas são comuns e chamamos de ameixas; pêssegos temos em dezembro e morangos, agora, no inverno (em estufas comerciais). Também é época dos cítricos.

    Beijocas de cá!

    ResponderExcluir
  5. Me lembrou maracujá! Pela polpa e sementinhas.

    Interessante e diferente!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Na verdade, trata-se de um abacaxi desaglutinado, solto em frutinhas individuais. A planta é muito parecida com uma moita de abacaxis.

    Beijocas, companheira!

    ResponderExcluir

Desativado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.