23.1.16

Época de fartura - milho

Há tanto milho verde nessa época, que compramos 3 espigas por 1 real. Um carb de qualidade, cheio de fibras e nutrientes, para comer com manteiga.
Plantei de brincadeira uns pés de milho na minha "hortinha" e um deles vingou.
A horta em si está sofrida pelo excesso de água e falta de sol, todavia o milho vai de vento em polpa.
 Uma espiga já embonecou e cresce a cada dia.
Veja que lindo o cabelinho ruivo! É a mágica da natureza.
Brinquei muito com bonecas de milho na infância... Entretanto, a palha me dá arrepio.
Com a natureza, apenas sou "fresca" com palha de milho, mandarová (que na roça dizíamos "mandruvá") e salada de tomate (prefiro cozido).
Falando em fartura, em outubro levei sementes de abóbora para a faxineira da Escola plantar no quintal - um canto fértil e inutilizado atrás de minha sala de aula.
Vingaram 4 lindas abobreiras! Desandamos comer cambuquira. Eu dizia: "não deixem a abobreira alastrar, retirem a cambuquira para dar força ao pé. Até a mãezinha da Diretora, com mais de 80 anos, fez sua tradicional sopa de cambuquira.
Em dezembro, já havia abobrinhas. A primeira foi da outra faxineira. A segunda, ficaria para amadurecer e virar doce. A terceira foi para a faxineira da escola ao lado, que esticou o olho no nosso abobral.
Em janeiro, até pensei e ir buscar mais cambuquira, porém a chuva não dava trégua. Encontrei uma das faxineira na feira e a notícia...
A Prefeitura cortou os pés para gramar a escola toda. Em quase 20 anos, nunca mexeram naquele quintal, foi só plantar. Elas espalharam abóboras e cambuquira para a vizinhança toda.