24.2.16

Exauridíssima

Resultado de imagem para imagem sala de aula
Hoje foi o 1º dia de aula em que me esgotei completamente. Foram 25 alunos se espremendo naquela sala; até o cantinho de leitura tive que desfazer. Nem duplas consegui formar, ficaram empinhocados um atrás do outro.
Cê tem noção do que é passar uma manhã inteira numa salinha com 25 crianças de 6 anos quase subindo pelas paredes? 
Atritos são inevitáveis; a todo instante alguém vai ao sanitário, bebedouro, alguém esbarra no outro (prá não dizer outra coisa), alguém grita "do nada", alguém se torna temperamental. 
Não é possível explicar uma atividade sem parar 100 vezes pedindo silêncio. Após explicar e passar pelas carteiras, um a um, verifica-se erros absurdos, certas crianças escrevendo com letras do tamanho de três linhas, criança que só faz "cobrinha", criança que mistura letra com números e outros rabiscos.
São sempre 10 solicitações ao mesmo tempo... criança esfregando caderno na nossa cara, criança se esgueirando pelos corredorzinhos estreitos.
O pensamento se embaralha todo. A gente mal consegue viver o momento, que dirá lembrar das melancolias e problemas diários!
Há um mantra que paira no ar: TIATIATIA
Sem contar a papelada para colocar em ordem, que surge mais e mais... Quando se termina de avaliar a turma, chega mais algum.
Acabou? Não! Semana que vem tem reunião com pais - sempre uma "saia justa", pois são famílias com valores e comportamentos tão distintos entre si.
Como pode ao final do ano, a gente ficar tão melancólica com síndrome do ninho vazio?  Como pode nas férias escolares a gente voltar a estar melancólica, pensando naquele burburinho todo da molecada? É... adrenalina vicia!
Imagem Google.